5 perguntas, 1 indicação: Solange Moll!

O 5 perguntas e 1 indicação é uma seção do nosso blog em que entrevistamos algumas pessoas que admiramos bastante! A ideia aqui é compartilhar os valores, visões e opiniões de pessoas que usam a criatividade e educação como bases para a sua atuação. Tudo isso para fazer com que as bases de uma educação mais criativa se espalhem cada vez mais, nos mais diferentes contextos.

E a nossa convidada hoje é a Solange Moll! A Sol é psicopedagoga, psicomotricista relacional, mediadora do PEI (Programa de Enriquecimento Instrumental) e professora alfabetizadora. Ela é responsável pela Psicosol, um site onde ela produz conteúdo, jogos e recursos para alfabetização.

Vamos nessa?

Imagine-me: para você, o que é criatividade?

👩 Solange: Criatividade, pra mim, é imaginar possibilidades para resolver problemas. Para isso, geralmente, é preciso pensar “fora da curva”. Agora, nem sempre acertamos de primeira. Às vezes as ideias precisam ser lapidadas e só cria algo quem se arrisca a colocar para fora o que tem em pensamento, o que imaginou. Não dá para se preocupar muito com a opinião alheia.

Imagine-me: o que te fez escolher a psicopedagogia?

👩 Solange: Eu sou filha adotiva ou “de coração” (como alguns preferem). Sempre me destaquei com bons rendimentos escolares e sei que isso muito se deve aos meus pais adotivos que eram excelentes incentivadores e mediadores.

Na idade adulta, quando estava trabalhando como professora, sempre me questionava sobre as dificuldades que alguns alunos apresentavam e sabia que a mediação adequada fazia toda a diferença. Sendo assim, num primeiro momento, a psicopedagogia foi uma busca por mais conhecimento porque eu queria melhorar minha mediação. Mais tarde comecei meus atendimentos em meu próprio consultório.

Imagine-me: Quais foram as suas motivações para dar esse “pulo”, da psicopedagogia para o desenvolvimento de jogos?

👩 Solange: Nesta busca por uma mediação melhor constatei na prática que os jogos lúdicos eram excelentes ferramentas de intervenção. Porém, nem sempre encontrava no mercado o jogo para atender as demandas específicas que eu via acontecer. Sendo assim, comecei a desenvolver meus próprios jogos e a perceber o quanto eles contribuíam com o desenvolvimento das crianças. Então pensei em compartilhar esta experiência com mais pessoas. Primeiro eu mostrava para meus colegas de trabalho e depois comecei a colocar em um blog, que virou site e hoje está aí sendo utilizado em vários lugares do Brasil e fora também como Portugal, Itália, Japão, Inglaterra…

Imagine-me: Em que tipo de jogos você tem trabalhado ultimamente? Pode nos adiantar algo?

👩 Solange: Ultimamente tenho trabalhado em diversos jogos, maaas tem um muito, muito especial! O Cria+: Desvendando Palavras. Este é um jogo que está sendo desenvolvido em parceria com o pessoal da Imagine-me. Acho que vocês já devem ter ouvido falar neles, não é mesmo? … hehe

Imagine-me: Para quem você indica o Cria+: Desvendando Palavras?

👩 Solange: O jogo será indicado para aprendentes em processo de alfabetização a partir de 6 anos. Porém, espero que vocês não se prendam a isso. A idade é mero detalhe quando as palavras de ordem são: imaginação e diversão! Vocês vão amar o jogo! Em breve terão mais notícias. Por enquanto, é só isso que posso falar! Sorry 😉

Atualização: o Cria+: Desvendando palavras! já saiu! 😄

Imagine-me: Indique alguma coisa que precisamos passar adiante! (Filme, série, livro, qualquer coisa!)

👩 Solange: Minha indicação é um livro que amo muito: O menino do dedo verde, escrito por Maurice Druon. Encontrei este livro na biblioteca do meu pai. Simmm, lembra que eu falei que tive excelentes mediadores? Mas, calma! Era assim que chamávamos a estante de livros… hehe. Mesmo assim, tive acesso a muitos livros na minha infância e este foi um que me marcou muito. Conta a história de Tistu, um menino muito curioso e reflexivo. Porém, quando foi mandado para a escola não conseguia se concentrar e acabava dormindo. Por isso, foi expulso! Seus pais, que eram donos de uma fábrica de canhões, o colocaram em um novo sistema de educação. Sua primeira lição foi com o jardineiro Bigode. No dia deste novo sistema ele foi pelo caminho dizendo para si: “Tomara que o sono não venha!”. Ah, gente! A história é linda demais! Tem humor, um certo toque de poesia, nos faz ver a vida por outros ângulos com mais esperança e refletir “fora da curva”. Ops, olha a curva aqui de novo!

Criatividade e rotina: como conciliar?

A rotina infantil é repleta de imaginação, criação e invenções. As crianças possuem naturalmente uma facilidade para viver uma rotina criativa, mas isso não significa que nós (adultos) não precisamos estimulá-los. A criatividade pode ser vivida e experimentada o tempo inteiro, nós só precisamos encontrar maneiras de oferecer estímulos e um ambiente propício para que isso aconteça. 

 “A criatividade é a inteligência se divertindo.”

Albert Eistein

Quando falamos em criatividade ou rotina criativa, podemos cometer o erro de pensar que para sermos criativos precisamos fazer algo totalmente novo, incrivelmente inesperado e que ninguém tenha feito antes. E por isso é tão importante levarmos o tema para dentro de casa, afinal, a criatividade pode ser vivida de maneira simples e acessível.

“Sempre recomendo que as pessoas pensem sobre algo que precisa ser resolvido como um labirinto. Há uma entrada para ele, mas muitos caminhos diferentes para a solução. Somente as pessoas que estão dispostas a ‘brincar’ e arriscar bater em um beco sem saída, em vez de tomar o caminho direto e seguro, provavelmente chegarão a uma verdadeira solução criativa”, defende a professora de Psicologia e pesquisadora de Criatividade Beth Hennessey, da Wellesley College, em Massachusetts (EUA).

Levando em consideração a ideia de que a criatividade é uma maneira de resolver problemas, como podemos aplicar este conceito na vida das crianças? 

Para uma criança, tudo pode se tornar um desafio!

A ideia de utilizar criatividade como forma de resolução de problemas pode ser aplicada também como uma maneira de enfrentar um desafio. Para uma criança tudo pode ser desafiador, sendo assim, qualquer atividade pode ser uma oportunidade para estimular a criatividade: 

Uma maneira diferente de arrumar a cama ao acordar.

Uma música que pode ser cantada em outro ritmo.

Uma solução diferente para organizar os brinquedos no quarto.

Uma nova preparação da sua refeição preferida com os pais.

Viu só? Qualquer atividade pode se transformar em um desafio que estimula a criatividade, pense na rotina da criança e encontre maneiras diferentes de desafiar os pequenos. Por isso, é importante que possamos entender o impacto que uma vida criativa pode proporcionar às crianças. Não se trata apenas de imaginação ou diversão, a criatividade está diretamente ligada a maneira que nos relacionamos na vida adulta e enfrentamos os desafios na escola, no trabalho e por aí vai.

De acordo com um estudo realizado pela Fundação Botín, da Espanha, uma educação repleta de criatividade na infância pode aumentar em 17,6% as chances de uma criança ingressar no ensino superior e conseguir um bom emprego.

Não se apegue às fórmulas prontas!

Vale lembrar que nenhuma criança possui manual de instruções, cada uma irá se desenvolver de maneira individual, com a sua personalidade e nós temos que fazer o exercício de respeitar este espaço para deixá-la experimentar e crescer, a seu modo. O melhor que podemos fazer é oferecer a segurança e um ambiente favorável para a experimentação e imaginação. 

Como incentivar um ambiente favorável para a criatividade? 

Estimule a independência e autonomia da criança. 

Pergunte! “O que você está sentindo?”, “O que você está pensando?”, converse sobre os sentimentos.

Demonstre respeito, não faça com que as brincadeiras das crianças se tornem motivo de piada. 

Faça a criança pensar sobre o que ela gosta. “Que tipo de música você mais gosta?”, “Qual comida você mais gostou de comer hoje?

Para ter uma rotina criativa não precisamos de brinquedos caros ou ferramentas incríveis. O combustível mais valioso está em cada um de nós: o poder de imaginar e transformar algo relativamente simples em outra coisa. A criatividade deve fazer parte da vida de cada um, por isso, aproveite cada oportunidade para deixar a rotina das crianças ainda mais cheia de diversão, imaginação e criatividade!

Fontes: 
Portal Aprendiz | UOL
Revista Crescer | Globo

Hora de dormir: histórias e rotina para as crianças pegarem no sono

Durante a pandemia, estamos passando mais tempo em casa e isso pode acabar dificultando o entendimento sobre a rotina, principalmente do ponto de vista das crianças. Entender o momento das refeições, a hora de estudar, o momento de brincar e de dormir é essencial para que a gente consiga manter uma rotina em família. 

Fazer as crianças pegarem no sono nem sempre é uma tarefa fácil. Sabemos como elas podem acumular energia e os pais acabam sofrendo para convencê-los de que já é tarde para permanecer de pé! Ter uma boa rotina de sono é essencial para toda a família, por isso vale tentar alguns ajustes na rotina para que todos tenham uma boa noite de sono.

A criança que não dorme bem fica irritadiça, sonolenta ou ainda hiperativa. E o sono, ainda mais nessa idade, tem um benefício muito grande para o aprendizado. Noites maldormidas são ruins para elas, para os pais, para os irmãos, porque todos acabam sendo afetados”

Tiago Simon, especialista em Medicina do Sono e membro da diretoria regional do Rio Grande do Sul da Associação Brasileira do Sono.

Conte histórias: para relaxar e reforçar o laço com as crianças!

As histórias antes de dormir são uma ótima opção para ajudar as crianças a relaxarem e ficarem mais tranquilas para dormir. Veja algumas opções de histórias: 

  • A Pequena Sereia;
  • A Bela e a Fera;
  • Peter Pan;
  • Pocahontas;
  • Dumbo.

Todas as clássicas histórias acima podem ser encontradas aqui! Além das histórias acima, você pode experimentar o Coelhinho Que Queria Dormir. Por meio de uma história simples, o terapeuta sueco Carl-Johan Forssén Ehrlin ajuda os adultos a conduzirem as crianças a um estado de relaxamento que vai ajudá-las a adormecer com tranquilidade – tanto de noite quanto na soneca diurna, transformando a hora de dormir em um momento prazeroso para toda a família. Publicado inicialmente de forma independente, este livro virou febre nos Estados Unidos e Inglaterra, alcançando o primeiro lugar na lista da Amazon.

Leia também: Quarentena? Confira três brincadeiras para entreter as crianças em casa!

O que são rituais do sono?

Comportamentos, hábitos de sono e rotinas em geral são fatores importantes no sono de crianças em qualquer idade. Os pais ou responsáveis têm um papel decisivo na formação dessas rotinas. A família toda deve estar mobilizada para que essa rotina aconteça. 

Vocês devem definir um horário de dormir e este horário deve ser seguido, sem brechas, e é importante que todos sigam o horário estipulado. Para construir a rotina do sono, algumas dicas podem te ajudar: 

  • Ao anoitecer, a casa já pode começar a se preparar com a diminuição dos ruídos, som da televisão, música, a casa pode começar a ficar mais silenciosa; 
  • A refeição da noite deve ser feita algumas horas antes do momento de dormir;
  • Os dispositivos tecnológicos podem ser deixados de lado antes da refeição, assim toda a família começa a se desconectar e relaxar a mente;
  • Tomar um banho quente, pode contribuir com o relaxamento do corpo;
  • Tenha um abajur com luzes não muito fortes nos quartos;
  • Um chazinho ou leite quente, também são opções que ajudam a entrar no clima de descanso; 
  • Aromatizadores nos quartos podem ajudar, como por exemplo o aroma de lavanda. Ter uma memória olfativa pode te ajudar a convencer o corpo que é um momento de descanso. 

Cada criança vai se adaptar de uma forma melhor à rotina para dormir, nem todas são fãs das histórias, mas o teste é sempre válido. O importante é que a rotina exista. Transformar o fim do dia em algumas horas mais tranquilas e relaxantes, fará bem para toda a família!

Fonte: Sociedade Brasileira de Pediatria

16 filmes para assistir com as crianças

Manter as crianças entretidas em casa não é uma tarefa fácil, mas existem algumas atividades que podem ajudar a passar o tempo e também trazer mais diversão para a família. Assistir um filme com as crianças pode ser uma ótima opção, principalmente para os dias mais frios ou chuvosos! 

Na hora de escolher um filme para assistir na companhia dos pequenos, fique de olho na sinopse e na classificação de idade indicativa. Hoje, vamos optar pelos filmes inspiradores, educativos e divertidos para deixar a experiência ainda melhor!

Confira abaixo, 16 filmes para assistir com as crianças!

  1. Os Incríveis 

A animação é perfeita para trazer um pouco de aventura e boas risadas em família. O Sr. Incrível, a Mulher Elástica e as crianças vestem novamente seus uniformes para vencer o mal. 

  1. Frozen – Uma aventura congelante

O filme é um grande sucesso entre as crianças! Ele é uma ótima alternativa para reforçar o amor e união entre os irmãos, além de trazer boas doses de humor com o boneco de neve Olaf. 

  1. Valente 

A animação é uma ótima opção para reforçar valores como a liberdade feminina e também a relação entre família. A personagem Merida, não aceita se casar com um príncipe e seguir a tradição. Irritada com a situação, ela encontra uma bruxa e entra em uma boa confusão. 

  1. A Era do Gelo 

A sequência proporciona muita diversão com os personagens Sid, Manny, Diego e o pequeno esquilo Scrat. Durante o filme, os personagens enfrentam boas aventuras e passam uma lição sobre amizade, desafios e confiança!

  1. As Aventuras de Nárnia

Qual criança nunca imaginou um universo inteiro dentro do seu próprio guarda-roupas? O filme Nárnia é ótimo para quem tem uma boa imaginação, com muita aventura e criaturas inimagináveis. O filme apresenta ensinamentos sobre confiança e justiça, de uma forma mágica!

  1. O bom dinossauro 

Pode parecer um filme com uma narrativa simples, mas ele é ótimo para as crianças terem uma visão sobre enfrentar os seus medos e descobrir a sua força, além de reforçar a amizade. Vale conferir!

  1. Ratatouille

Já imaginou um ratinho na sua cozinha? Depois de assistir ao filme, sem dúvidas a criançada vai amar a ideia! heheh O pequeno ratinho cozinheiro é capaz de conquistar os corações de quem o assiste. Ele proporciona a ideia de enfrentar o que for preciso para ir em busca de um sonho. 

  1. Procurando Nemo 

Uma ótima opção para reforçar a amizade e a família, através de uma ótima aventura no mar! Sem dúvidas a dupla Marlin e Dory, vão deixar o seu dia ainda melhor. 

  1. Up! Altas Aventuras

Ahh, uma casa nas alturas! Seria incrível dar uma voltinha por aí, né?! As crianças vão adorar passar uma tarde na companhia do pequeno Russel, um garotinho de 8 anos super aventureiro que irá embarcar em uma aventura incrível com o Sr. Carl Fredricksen (e, claro, o cachorro Dug!).

  1. Monstros S.A.

Outra dupla que vai deixar o dia ainda mais divertido em família: Mike e Sulley. O filme tem uma ótima narrativa sobre amizade e traz uma outra ideia sobre os monstros. As crianças podem acabar se encantando por eles!

  1. Minions

As pequenas criaturinhas que possuem uma língua própria possuem um único objetivo: servir aos maiores vilões. O que tem tudo para ser uma história do mal, se transforma em um filme super divertido! 

  1. A fuga das galinhas

A galinha Ginger e suas companheiras vão proporcionar um momento super divertido para a sua família! Uma história criada para darmos boas risadas e aprendermos sobre dedicação e perseverança. As galinhas bolam um super (e aventureiro) plano junto ao galo Rocky para fugirem do galinheiro. 

  1. O gato de botas

Quem aí já viu o Gato do filme Shrek? Com aquele olhar marcante, ele ganhou o seu próprio filme e é uma ótima alternativa para a família. Com o objetivo de limpar a sua honra, o corajoso, sedutor e carismático Gato de Botas proporciona uma história super divertida!

  1. Carros

Para as crianças que adoram uma aventura e carrinhos em alta velocidade, Carros é uma ótima opção! O filme proporciona ação, diversão e muita amizade entre os roncos dos motores. 

  1. Meu Malvado Favorito

Lembra que indicamos o filme Minions, ali em cima? Eles permanecem com força total, dessa vez ao lado do grande vilão Gru. O filme é divertido e proporciona bons ensinamentos sobre amizade e confiança! 

  1. Moana – Um mar de aventuras

Moana é filha do líder da ilha e descobre que tem poderes relacionados à água. O filme é uma grande aventura na ilha e conta com boas doses de coragem e amizade!

E aí, já podemos preparar a pipoca? Opções não faltam para uma tarde cheia de aventuras e boas risadas em família. Aproveite as dicas e se vocês gostam de maratonar, uma ótima opção entre um filme e outro é fazer uma pausa para um lanchinho! 

Clique aqui e descubra como transformar a hora do lanche em um momento criativo!

Foto por Serhii_bobyk – www.freepik.com

O tédio X criatividade infantil

Como os momentos de tédio podem ser eficazes para o desenvolvimento da criatividade nas crianças? 

De acordo com o Dr. Sandi Mann, psicóloga da University of Central Lancashire na Grã-Bretanha, quando ficamos entediados o cérebro sai do consciente e entra no subconsciente, absorvendo e refletindo sobre situações conhecidas. 

Em 2013, a Dra. Mann publicou os resultados de um estudo sobre o tédio. No estudo, ela pediu para que os participantes imaginassem formas inventivas de utilizar dois copos de espuma. A Dra. descobriu dessa forma que as pessoas que tinham acabado de passar um tempo realizando tarefas entediantes tinham ideias mais originais do que os seus colegas que não haviam passado por essa experiência.

A pesquisa concluiu que quando estamos vivendo uma situação tediosa, a nossa mente começa a procurar estímulo em suas mentes subconscientes. Sem dúvida, no subconsciente se produz um pensamento inovador.

Nós, adultos, temos a ideia padrão de que a criança precisa estar sempre ocupada. Seja na escola, na aula de música, nos esportes, precisamos preencher o tempo das crianças para que elas tenham um bom desenvolvimento, certo? É claro que ter uma rotina e atividades diversas é importante para o desenvolvimento, mas os momentos tediosos são altamente eficazes para que as crianças sejam capazes de ocupar o tempo à sua própria maneira.

Clique aqui e confira 04 dicas para ter uma rotina criativa com as crianças!

Neste momento em que muitas crianças ainda não retomaram a rotina presencial, é natural que ela se sinta com tédio por grande parte do dia. Afinal, estar em casa é muito difícil para uma criança que está acostumada a ver os coleguinhas, brincar em diversos espaços e ter uma vida mais ativa. 

Por isso é importante estarmos atentos para estimulá-los a transformar o tédio em energia para criar. Você pode dar dicas e sugerir caminhos para que a criança crie a partir deste início. Veja alguns exemplos para instigar a criatividade nos momentos livres: 

“E se a gente fizesse algo com as massinhas de modelar?” 

“O que poderíamos fazer com essas tampinhas de garrafa pet?” 

“O que acha de testarmos umas colagens? Eu posso te ajudar!” 

Muitas vezes as crianças não encontram estímulos para começar algo novo, mas você pode sugerir, apresentar novos materiais e deixar ela escolher o que fazer. Elas precisam desse tempo para identificar oportunidades, assimilar seus pensamentos, conhecer os seus próprios processos de criação e reconhecer o mundo ao seu redor. 

Uma rotina tediosa pode ser uma grande chance de conhecer novas brincadeiras e atividades. Aproveite para criar estímulos ao longo do dia e deixe o espaço livre. Vale lembrar que o estímulo não é uma insistência para que a criança crie e sim um pequeno incentivo, caso você sinta essa necessidade. 

Fonte: 

Pesquisa Dra. Sandi Mann

BBC News “As crianças deveriam ficar entediadas”

Foto por Mika Baumeister no Unsplash.

Metas e planejamento infantil, por onde começar?

Início de ano combina com planejamento e organização das atividades, e com os pequenos não poderia ser diferente. Com a pandemia, nem todas as crianças darão início ao ano letivo, mas algumas tarefas podem ajudar a manter o ritmo em casa. 

Ter uma rotina com as crianças é importante para que eles tenham noção de tempo, saber quando é o momento de almoçar, de dormir, de brincar, de tirar férias. A pandemia trouxe este grande desafio aos adultos que precisaram encontrar maneiras de manter uma rotina sem sair de casa e claro, entreter os pequenos. 

A rotina escolar é, sem dúvidas, uma maneira de introduzir desde cedo o hábito de se planejar. Seja através das tarefas rotineiras ou entender a duração dos dias, dos finais de semana e por aí vai. Mas como podemos começar este trabalho? Como construir uma rotina e um planejamento com as crianças? 

  • Quadro de Rotina

Uma ótima maneira de trazer a rotina para a vida das crianças é montar um quadro e transformar a lista de atividades do dia em uma ótima brincadeira! Você pode montar um quadro com os dias da semana e convidar a criança para adicionar suas atividades. Para ficar ainda mais legal, utilize adesivos e materiais diferentes como papel colorido, colagens e o que tiver por aí, para deixar o quadro bem colorido. 

  • Desenvolvendo pequenas metas

O hábito de ter metas pode ser um aliado na hora de estipular a sua rotina e com as crianças, como podemos adaptar essa ideia? Estimule a criação de pequenas metas com as crianças. Coloque no Quadro de Rotina, algumas metas que a criança deseja alcançar (converse e explique como pode ser legal ter uma meta por semana, uma meta simples para que a criança se esforce para alcançá-la!) 

“Muitas vezes, os adultos acabam projetando nos filhos as realizações que gostariam de atingir. As crianças de hoje são ‘adultizadas’ e delas é exigido agir como adultos responsáveis. Isso vai desde a agenda atribulada até às roupas e acessórios. Essa ‘adultização’, entretanto, não significa maturidade”, explica Jandyra Kondera, psicóloga clínica do serviço de Psicologia da Unimulti, do Hospital das Clínicas da UFPR.

Existem algumas atividades e pequenas metas que você pode adicionar na rotina das crianças, sem uma pressão para que a rotina fique pesada ou “adulta” demais. 

Exemplos de pequenas atividades para sugerir às crianças, de acordo com a idade: 

Até 05 anos de idade:

  • “Guardar os brinquedos após utilizá-los”;
  • “Vou deixar meus pais escovarem os meus dentes”;
  • “Ajudar os adultos a preparar uma refeição na semana”; 
  • “Ajudar a alimentar os bichinhos de estimação da casa”.

Entre 06 e 10 anos de idade: 

  • “Arrumar a própria cama ao acordar”;
  • “Regar as plantinhas da casa”;
  • “Vou tomar água várias vezes ao dia”;
  • “Momento para a leitura na semana”;
  • Metas relacionadas ao ensino, como um momento para as tarefas escolares. 

O cotidiano é aquilo que vivemos no dia a dia, no presente. É o que acontece, a dimensão concreta da vida. Ele inclui o que planejamos, mas também o inesperado. A rotina é uma estratégia utilizada pelos seres humanos para organizar seu cotidiano.

Fonte: LOPES, Karina Rizek; MENDES, Roseana Pereira; FARIA, Vitória Líbia Barreto de (Org.). Livro de estudo: Módulo III Brasília: MEC. Secretaria de Educação Básica. Secretaria de Educação a Distância, 2006. 74p. (Coleção Proinfantil).

A intenção de estabelecer pequenas metas e objetivos é ensinar sobre como podemos melhorar com a rotina. Uma atividade difícil ou chatinha, com a prática pode se tornar rotineira. Não é a busca pela perfeição nas atividades e sim a intenção em melhorar e ter uma meta a ser alcançada.  🙂

Fontes: 

Guia Infantil

Gazeta do Povo