8 Palestras do TED sobre criatividade que você precisa ver!

Estudar, conversar e refletir sobre criatividade é se deparar com um longo caminho para trilhar e descobrir. São muitas informações, pesquisas e dados para serem compreendidos e mesmo com tantos acessos, a criatividade continua sendo um grande universo a ser descoberto. 

Uma das formas de aprender sobre coisas novas é através das palestras realizadas nas conferências TEDx. O formato é conhecido por ser simples e rápido, ou seja, uma ótima fonte de consumo de conteúdo principalmente para quem tem a rotina agitada (como quase todas as pessoas se encontram neste momento).

Para te ajudar, criamos uma lista com as palestras que trazem o tema “criatividade”.

Aproveite para salvar o link de cada uma delas e não se esqueça de compartilhar este post com os amigos!


As escolas acabam com a criatividade?

Ken Robinson defende de maneira divertida e profunda a criação de um sistema educacional que estimula (em vez de enfraquecer) a criatividade. É um tema polêmico e que gerou grande audiência, mas fica a reflexão.

Como gerir a criatividade coletiva?

Como criar uma equipe que mantém um fluxo de ideias? Como podemos fazer com que as ideias não sejam frutos de apenas alguns “criativos”? Vivemos o paradoxo: você deve liberar os talentos e as paixões de muitas pessoas, mas deve transformá-los em um trabalho que seja realmente útil. Linda Hill, professora de administração, oferece três segredos para superar esse paradoxo e construir uma organização verdadeiramente inovadora.

Alimentando a criatividade

É preciso ser um “gênio” para ser criativo? Elizabeth reflete sobre as coisas impossíveis que esperamos dos artistas e gênios, ela também divide a ideia radical de que, em vez dessas pessoas raras “serem gênios”, todos nós deveríamos “ter” um gênio. É um relato muito pessoal, bem humorado e surpreendentemente emocionante.

Uma maneira poderosa de liberar sua criatividade natural

O que podemos aprender com as pessoas mais criativas do mundo? Eles “multitarefa em câmera lenta”, fazendo malabarismos com vários projetos e movendo-se entre os tópicos conforme o clima bate – sem se sentir apressado. O autor Tim Harford compartilha como inovadores como Einstein, Darwin, Twyla Tharp e Michael Crichton encontraram sua inspiração e produtividade por meio do treinamento cruzado de suas mentes.

Leia também:
Brincadeiras que não precisam de material e estimulam a criatividade!

Como construir sua confiança criativa

Sua escola ou local de trabalho é dividido entre “criativos” versus pessoas práticas? Certamente, David Kelley sugere que a criatividade não é domínio apenas de um grupo privilegiado. Contando histórias de sua lendária carreira como designer e sobre sua própria vida, ele oferece maneiras de construir a confiança para exercer a criatividade.

O que é criatividade?

JP  compartilha o processo mental e físico envolvido em ser um artista que trabalha com vidro, ‘Você é um criativo? Você tem ‘paixão’ por seguir uma vida de criatividade?

Criatividade na sala de aula

Catherine Thimmesh discute por que a criatividade é uma ferramenta essencial para os alunos de hoje e como os professores podem facilmente encorajar e promover o desenvolvimento de habilidades de pensamento criativo.

Quer ser mais criativo? Dê um passeio

Ao tentar ter uma nova ideia, todos nós temos momentos em que ficamos presos. Mas, de acordo com uma pesquisa da cientista comportamental e de aprendizagem Marily Oppezzo, sair de casa e dar uma caminhada pode ser tudo o que você precisa para fazer sua criatividade fluir.


E aí, já tinha assistido alguma das palestras citadas?

Existem muitos outros conteúdos do TED sobre desenvolvimento, educação, comportamento e tecnologia que você pode conferir aqui! 

Brincadeiras criativas para fazer no carro!

A família está de malas prontas para uma viagem na quarentena? Oba! Nada melhor do que pegar a estrada para renovar as energias, mas as viagens longas podem ser um sufoco para as crianças. Duas, três horas no banco do carro… pode ser uma experiência bem chata, ou não.

Para te ajudar a ter um momento muito mais divertido em família, selecionamos algumas brincadeiras criativas que podem ser feitas no carro, ao longo de uma viagem. 

Você pode aproveitar este momento para estimular a criatividade e desenvoltura das crianças, através de brincadeiras que vão fazer a viagem até passar mais rápido! Anote as dicas abaixo e não perca a oportunidade de testar: 

1. Karaokê criativo

Quem canta os males espanta! 

Uma pessoa do carro escolhe um termo, por exemplo “felicidade”. As outras pessoas precisam cantar uma música que possui o termo escolhido, por exemplo:

  • “Quando não souber o que pedir, peça felicidade…
  • Quando não souber o que doar, doe sua metade”.

2. Adivinhe no que estou pensando

Nada como uma boa charadinha para fazer o tempo passar. Uma pessoa pensa no nome de um filme, pessoa famosa ou lugar. Então, os outros participantes devem fazer perguntas em que as respostas sejam apenas sim ou não.

Com as pistas acumuladas, vence quem conseguir adivinhar em quem ou o que a pessoa estava pensando. O ganhador será o próximo a pensar!

Leia também:
Livros sobre criatividade para quem quer desenvolver crianças criativas!

3. Cor do carro

Tem alguém competitivo aí? Cada participante pode escolher uma cor e cada carro que passar, com a cor correspondente, conta como um ponto. 

Quem acumular mais pontos ao final da viagem, ganha o jogo! Não se esqueça de ficar atento na estrada 😉

4. Leve o seu Criaventura para a viagem

Criar e contar histórias é uma das brincadeiras mais antigas da humanidade; e também uma das mais impactantes! Leve o seu Criaventura e aproveite para criar boas histórias ao longo da viagem. Sem dúvidas a família vai se divertir e se surpreender com as criações.

Ainda não tem o jogo Criaventura?
Clique aqui e garanta o seu!

5. Adivinhe a música

Mais uma brincadeira musical, afinal música nunca é demais. Um participante deve cantarolar uma música e os outros participantes devem adivinhar qual é a música. Quem acertar o maior número de vezes, vence!

6. Fui na feira e comprei…

Vamos colocar essa memória para funcionar? O jogo é bem simples e pode render boas risadas! 

O primeiro integrante começa dizendo a frase “fui à feira e comprei…” e completa com algum alimento que podemos encontrar na feira com a letra A. Já o segundo participante, deve continuar a lista de compras e adicionar um ingrediente que comece com a letra B. 

Exemplos:

Participante 1: fui à feira e comprei amora; 

Participante 2: fui à feira e comprei amora e brócolis; 

Participante 3: fui à feira e comprei amora, brócolis e cebola. 

E assim por diante! Você pode aproveitar a brincadeira e estimular o consumo de novos alimentos entre as crianças, como por exemplo: pessoal, o que acham de fazermos um brócolis hoje no jantar? 

Veja também:
Descubra que tipo de LEITOR VISUAL você é!

7. Quem sabe mais?

Um jogo bem parecido com o tradicional Stop. Escolha um tema geral, por exemplo: animais. Cada participante fala o nome de um animal, até que a memória comece a falhar e um único participante vença.

É um ótimo exercício para que as crianças também conheçam novos nomes de animais, cores ou alimentos.

Quer fazer uma versão mais difícil do “Quem sabe mais?”, escolha uma placa de carro na estrada e faça uma rodada com a letra inicial da placa. Exemplo: 

A placa escolhida é: BRA2E19

Todos os participantes devem dizer palavras que comecem com a letra B!

Com todas essas ideias, sem dúvidas as viagens serão muito mais divertidas e rápidas. Aproveite os momentos “livres” para brincar com as crianças, assim vocês curtem o tempo juntos, exercitam a memória, estimulam a criatividade, dão boas risadas e elas não vão sentir falta da televisão ou tablet. 

Não deixe de compartilhar este conteúdo com os amigos que possuem crianças em casa, assim você também contribui para que mais famílias tenham viagens divertidas na companhia das crianças!

O que acontece com a sua criatividade quando você cresce?

Em 1968, a NASA encomendou um experimento aos pesquisadores George Land e Beth Jarman. A agência espacial norte-americana desenvolveu um teste para uma população de crianças, o objetivo era identificar pessoas com uma extraordinária capacidade criativa. 

Os resultados que eles obtiveram foram que 98% das crianças de 5 anos podiam ser catalogadas como altamente criativas. Quando essa informação foi revelada, alguns psicólogos repetiram o experimento quando aquelas crianças tinham 10 anos e mais tarde aos 15 anos e 31 anos. 

“98% deles pontuaram no nível de gênio”

O resultado final? Bom, à medida que as crianças cresciam, a capacidade criativa diminuía. O teste constatou que na infância, 9 em cada 10 crianças têm algum tipo de genialidade, mas quando atingem a idade adulta, apenas 2 em cada 100 seguem sendo criativos. Isso significa que quando saímos da escola, já estamos muito menos criativos do que quando entramos. 

Leia também:
Brincadeiras que não precisam de material e estimulam a criatividade!

Afinal, você se lembra de como era o seu nível de criatividade quando criança? Como você agia durante as brincadeiras, se era uma criança cheia de imaginação, se conseguia se desligar facilmente da realidade ao criar uma história…

Sem dúvidas, crescer é uma das coisas que nos afasta do mundo criativo. As normas sociais e a forma que o mundo nos espera é repleto de regras. Aprendemos como devemos agir, como devemos estudar, como devemos olhar para o mundo e as possibilidades criativas vão se tornando cada vez mais distantes do mundo real. 

A importância dos métodos criativos na educação infantil

Ao realizar o teste e buscar respostas sobre o funcionamento da mente, George e Beth (os pesquisadores que citamos lá no começo do texto) pontuaram que o cérebro funciona de duas maneiras: divergente e convergente. 

Pensamento DIVERGENTE
É um processo de pensamento que tem como objetivo achar o maior número possível de soluções para um problema. Essa capacidade é usada para gerar ideias e resolver algo criativamente. 

Pensamento CONVERGENTE
Consiste em achar uma única solução apropriada a um problema. Normalmente envolve um conjunto mais claro de regras e procedimentos, como o método cartesiano.

Ambos funcionam como um acelerador e um freio da mente. Quando educamos as crianças, no sistema tradicional de ensino, estamos dizendo para elas frearem e acelerarem, ao mesmo tempo. O que acaba diminuindo o poder do cérebro, pois estamos colocando nossas duas forças mentais para “brigar”. Afinal, estamos constantemente criando obstáculos criativos para justificar julgamentos e nos adequarmos a eles.

Assista ao vídeo com o próprio George Land sobre o tema:

O que podemos fazer?

 Agarre-se a todas as oportunidades criativas que a rotina proporciona. Se você convive com alguma criança na faixa dos cinco anos, observe-a e veja como ela tem insumos criativos. Nós temos a oportunidade de aprender com as crianças e fazer o que estiver ao nosso alcance para oferecer um ambiente amigável para a imaginação. Experimente e exercite a sua mente! 

Fontes: 
Forbes, Terra

Brincadeiras que não precisam de material e estimulam a criatividade!

Muitas vezes temos uma ideia para uma brincadeira diferente mas não temos tempo para preparar ou, pior, não temos o material necessário em casa! Nesses casos, nada como uma boa e velha brincadeira – sem nada de sofisticado ou complexo – para ocupar a criançada!

São atividades que são simples mas nem por isso deixam de ser muito criativas e significativas. 

Para te ajudar, separamos uma lista de brincadeiras como essas! Elas são divertidas e, principalmente, não necessitam de nenhum material.

Aplique em casa (e depois nos conte como foi aqui nos comentários!):

Trava-línguas

Uma brincadeira simples e que garante a diversão entre família.

Você conhece os benefícios do trava-língua? 

???? Acelera o raciocínio lógico.

???? Ajuda as crianças a desenvolverem a comunicação oral.

???? Ajuda as pessoas a pronunciarem as palavras de forma correta.

???? Auxilia no aperfeiçoamento das pronúncias.

???? Contribui para uma melhor dicção.

Aqui estão algumas opções de trava-línguas bem legais para você desafiar a criançada: 

A aranha arranha a rata, a rata arranha a aranha.

É rara a barra de prata com peras, cerejas e laranjas em jarras ou jazigos.

O doce de batata-doce perguntou ao doce: “Qual o doce mais doce?” O doce respondeu para o doce, que o doce mais doce é o doce de batata-doce.

Trovas e trovões trovejam trocando quadros trocados entre os trovadores em esquadrinhados nos quatro cantos.

Quero que o clero preclaro esclareça o caso e declare que Tecla se engana no que clama e reclama.

O peito de Pedro é preto, é preto o peito de Pedro.


Leia também:
Livros sobre criatividade para quem quer desenvolver crianças criativas!


Mímica

Se você nunca se aventurou em uma sessão de mímica, não sabe a diversão que está perdendo.

Uma brincadeira simples, fácil para a criançada e também apresenta os seus benefícios

➡️ Através dos gestos as crianças podem aprender a transmitir suas emoções, sentimentos e pensamentos.

➡️ Os jogos de mímica ajudam a controlar melhor seus movimentos melhorando sua coordenação. 

➡️ Através da mímica as crianças podem melhorar a sua expressão artística, seja através da dança, da interpretação e claro, a imaginação.

Para preparar a brincadeira, a família pode selecionar um tema: filme, animação, programas de TV e então dividir em grupos. A divisão vai depender do número de pessoas, mas não se apegue aos detalhes, a diversão é o que importa! 

Siga o Mestre

Uma outra atividade que vai te ajudar a explorar a criatividade da criançada e também o ambiente!

Siga o Mestre é uma brincadeira super fácil de ser realizada é ótima para gastar energia. 
Exemplos de ordens do Mestre: 

O Mestre mandou pular em um pé só

O Mestre mandou colocar a mão direita na cabeça;

O Mestre mandou andar de ré

O Mestre mandou caminhar em câmera lenta.

Siga o Mestre é uma ótima oportunidade de deixar as crianças decidirem o que deve ser feito no momento e para dar confiança para os pequenos tomarem decisões. 



E aí, qual brincadeira vai rolar na sua casa nos próximos dias?

Aproveite o momento para estimular a diversão e a criatividade das crianças.
Na mímica, por exemplo, não dê luz ao perfeccionismo e sim ao estímulo em tentar representar algo.
Deixe as crianças à vontade para brincar e crie um ambiente que permita experimentar de forma livre! 

Fontes:
Educa Mais Brasil – Trava Línguas
Guia Infantil – Mímica

Livros sobre criatividade para quem quer desenvolver crianças criativas!

Criar crianças criativas e inovadoras é um grande desafio! Mas é possível, e desde muito cedo. Quando os pequenos vivem em ambientes criativos em que os adultos que estimulam a imaginação, desenvolver-se de forma criativa se torna muito mais fácil.

Mas por onde começar?

Transformar uma rotina corrida e praticamente sem tempo em dias criativos é um desafio que muitas vezes parece impossível… Mas sabe o que pode te ajudar neste processo? Consumir mais conteúdos sobre o tema!

Ler sobre criatividade, ouvir podcasts, assistir filmes e vídeos que abordam a vida criativa pode te ajudar a entender como adicionar uma boa dose de imaginação para o seu dia a dia.

Para lhe auxiliar nisso, selecionamos alguns livros que falam sobre a criatividade no desenvolvimento das crianças. Você pode aproveitar as dicas abaixo e adicioná-las na sua lista de leituras!

Imaginação e criatividade na infância

Esta é uma das principais obras de L. S. Vigotski, tendo sido editada pela primeira vez em 1930. Nela, Vigotski aborda o desenvolvimento e a natureza da imaginação artística nas crianças a partir dos conhecimentos científicos da sua época, mas com intuições que permitiram que continue a ser uma referência para a psicologia contemporânea

Grande magia: vida criativa sem medo

Ao compartilhar histórias da própria vida, de amigos e das pessoas que sempre a inspiraram, Elizabeth Gilbert reflete sobre o que significa vida criativa. Segundo ela, ser criativo não é apenas se dedicar profissional ou exclusivamente às artes: uma vida criativa é aquela motivada pela curiosidade. Uma vida sem medo, um ato de coragem. 

Cérebro adolescente

Nesse livro, o autor Daniel J. Siegel, mostra aos pais, profissionais da educação e do comportamento como transformar um dos períodos de desenvolvimento mais difíceis da vida em uma experiência gratificante e transformadora. Entre as idades de 12 e 24 anos, o cérebro muda em aspectos importantes e muitas vezes enlouquecedores.

O caminho do artista

O caminho do artista reúne uma série de exercícios, reflexões e ferramentas para ajudar você a despertar sua criatividade, recuperar a autoconfiança e se livrar dos bloqueios criativos. Organizadas num programa de 12 semanas, essas técnicas vão guiá-lo por uma viagem de autodescoberta, ajudando-o a enfrentar seus medos, crenças e inseguranças – os maiores obstáculos para quem deseja expressar qualquer forma de arte.

Leia também:
O TÉDIO X CRIATIVIDADE INFANTIL

Como O Cérebro Cria

Unindo arte, ciência e cotidiano, neurocientista e compositor exploram origens e processos por trás da inovação em um livro que deu origem a série de mesmo nome disponível na Netflix. O que guarda-chuvas, sinfonias, viagens espaciais, estádios de futebol, os quadros de Picasso e o calendário têm em comum? Todos foram concebidos, desenvolvidos e aperfeiçoados pelo poder da criatividade humana.

A vida é o que você faz dela

Inspiração e perspectiva para quem produz arte (ou qualquer outra coisa). Da mente inquieta do designer Adam J. Kurtz vem um chamado para todos os que passam pelos desafios do processo criativo. A partir de uma série de miniensaios manuscritos, este livro oferece toda a sabedoria e empatia de Adam Kurtz, em uma conversa de artista para artista.

Criatividade na escola

Esse livro mostra estudos de pesquisas nacionais e internacionais realizadas na Espanha, no Brasil e em Portugal.É sobre a influência das aulas criativas no processo de desenvolvimento dos talentos das crianças, inclusive as de altas habilidades. Apresenta um conjunto de propostas para promover a criatividade em escolas e em outras instituições de ensino.

Segundo o livro, hoje em dia a criatividade não é muito estimulada, por isso, professores e pedagogos devem usar medidas educativas que instiguem os alunos a desenvolver sua criatividade.

A coragem de ser imperfeito

Como aceitar a própria vulnerabilidade, vencer a vergonha e ousar ser quem você é. Brené Brown ousou tocar em assuntos que costumam ser evitados por causarem grande desconforto. Viver é experimentar incertezas, riscos e se expor emocionalmente. Mas isso não precisa ser ruim. Como mostra Brené Brown, a vulnerabilidade não é uma medida de fraqueza, mas a melhor definição de coragem.

Quando fugimos de emoções como medo, mágoa e decepção, também nos fechamos para o amor, a aceitação e a criatividade. Por isso, as pessoas que se defendem a todo custo do erro e do fracasso acabam se frustrando e se distanciando das experiências marcantes que dão significado à vida.

As dicas acima podem ser utilizadas por pais, professores, profissionais que lidam com o desenvolvimento de crianças ou até mesmo por quem se interessa em viver em um mundo mais criativo!

Quando consumimos mais conteúdos sobre criatividade, passamos a ver novas maneiras de imaginar e construir realidades leves, divertidas e inovadoras.

Criatividade e rotina: como conciliar?

A rotina infantil é repleta de imaginação, criação e invenções. As crianças possuem naturalmente uma facilidade para viver uma rotina criativa, mas isso não significa que nós (adultos) não precisamos estimulá-los. A criatividade pode ser vivida e experimentada o tempo inteiro, nós só precisamos encontrar maneiras de oferecer estímulos e um ambiente propício para que isso aconteça. 

 “A criatividade é a inteligência se divertindo.”

Albert Eistein

Quando falamos em criatividade ou rotina criativa, podemos cometer o erro de pensar que para sermos criativos precisamos fazer algo totalmente novo, incrivelmente inesperado e que ninguém tenha feito antes. E por isso é tão importante levarmos o tema para dentro de casa, afinal, a criatividade pode ser vivida de maneira simples e acessível.

“Sempre recomendo que as pessoas pensem sobre algo que precisa ser resolvido como um labirinto. Há uma entrada para ele, mas muitos caminhos diferentes para a solução. Somente as pessoas que estão dispostas a ‘brincar’ e arriscar bater em um beco sem saída, em vez de tomar o caminho direto e seguro, provavelmente chegarão a uma verdadeira solução criativa”, defende a professora de Psicologia e pesquisadora de Criatividade Beth Hennessey, da Wellesley College, em Massachusetts (EUA).

Levando em consideração a ideia de que a criatividade é uma maneira de resolver problemas, como podemos aplicar este conceito na vida das crianças? 

Para uma criança, tudo pode se tornar um desafio!

A ideia de utilizar criatividade como forma de resolução de problemas pode ser aplicada também como uma maneira de enfrentar um desafio. Para uma criança tudo pode ser desafiador, sendo assim, qualquer atividade pode ser uma oportunidade para estimular a criatividade: 

Uma maneira diferente de arrumar a cama ao acordar.

Uma música que pode ser cantada em outro ritmo.

Uma solução diferente para organizar os brinquedos no quarto.

Uma nova preparação da sua refeição preferida com os pais.

Viu só? Qualquer atividade pode se transformar em um desafio que estimula a criatividade, pense na rotina da criança e encontre maneiras diferentes de desafiar os pequenos. Por isso, é importante que possamos entender o impacto que uma vida criativa pode proporcionar às crianças. Não se trata apenas de imaginação ou diversão, a criatividade está diretamente ligada a maneira que nos relacionamos na vida adulta e enfrentamos os desafios na escola, no trabalho e por aí vai.

De acordo com um estudo realizado pela Fundação Botín, da Espanha, uma educação repleta de criatividade na infância pode aumentar em 17,6% as chances de uma criança ingressar no ensino superior e conseguir um bom emprego.

Não se apegue às fórmulas prontas!

Vale lembrar que nenhuma criança possui manual de instruções, cada uma irá se desenvolver de maneira individual, com a sua personalidade e nós temos que fazer o exercício de respeitar este espaço para deixá-la experimentar e crescer, a seu modo. O melhor que podemos fazer é oferecer a segurança e um ambiente favorável para a experimentação e imaginação. 

Como incentivar um ambiente favorável para a criatividade? 

Estimule a independência e autonomia da criança. 

Pergunte! “O que você está sentindo?”, “O que você está pensando?”, converse sobre os sentimentos.

Demonstre respeito, não faça com que as brincadeiras das crianças se tornem motivo de piada. 

Faça a criança pensar sobre o que ela gosta. “Que tipo de música você mais gosta?”, “Qual comida você mais gostou de comer hoje?

Para ter uma rotina criativa não precisamos de brinquedos caros ou ferramentas incríveis. O combustível mais valioso está em cada um de nós: o poder de imaginar e transformar algo relativamente simples em outra coisa. A criatividade deve fazer parte da vida de cada um, por isso, aproveite cada oportunidade para deixar a rotina das crianças ainda mais cheia de diversão, imaginação e criatividade!

Fontes: 
Portal Aprendiz | UOL
Revista Crescer | Globo