Habilidades de vida: a importância no ensino

Habilidades de vida no ensino

O ensino está mudando!

E isso não é de hoje.

Muito provavelmente você já deve ter notado essa tendência: cada vez mais escolas conteplam dinâmicas pontuais (ou mesmo disciplinas inteiras!) de temas como empreendedorismo e orientação vocacional, civilidade e cidadania, relacionamento interpessoal, tecnologia e inovação…Ou seja: estamos em um momento em que a escola está se voltando para a vida prática!

E isso é uma ótima notícia!

Claro, não devemos abandonar completamente a formação teórica, mas formar para a aplicação prática de toda essa teoria é um complemento que veio para ficar e potencializar.

Não há mais espaço para uma educação que forme “robôs” padronizados!

Tanto que isso que se observa hoje é a culminação de uma onda que vem de muito tempo. Já em 1997 (25 anos atrás!!!!) se pensava, seriamente, sobre o conceito de habilidades de vida.

E é sobre isso que vamos falar hoje! Vem com a gente:

Habilidades de vida: as habilidades para a vida real

As pesquisadoras em Psicologia Natália Cunha, da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), e Marisa Cosenza Rodrigues, da PUC-Campinas, em seu artigo “O desenvolvimento de competências psicossociais como fator de proteção ao desenvolvimento infantil” definem as habilidades de vida como competências para uma adaptação saudável à realidade.

E é justamente essa ideia de educar para a realidade que as torna tão relevantes para os dias de hoje. Afinal, as habilidades de vida são um conjunto de conhecimentos e habilidades (ou seja, competências) que tem como objetivo justamente ajudar a nos adaptarmos a um mundo frenético, em que a realidade muda cada vez mais rápido.

Um jeito fácil de ver como a realidade muda cada vez mais depressa é olhar para o ritmo da tecnologia: o tempo para a adoção de novas tecnologias tem ficado exponencialmente mais curto. Veja como as curvas ficam cada vez mais íngremes no gráfico.

Nesse mundo corrido, em que enfrenta-se progressivamente mais e inéditas demandas, a resiliência que as habilidades de vida proporiona é nada menos do que essencial!

Mais resilitentes, lidamos melhor com os crescentes conflitos que as mudanças constantes causam no nosso dia-a-dia. E, no fim das contas, nos tornamos mais cuidadosos com a nossa própria saúde (física e mental).

As 10 habilidades de vida

Fique tranquilo(a): não é uma lista tão estensa assim!

Abaixo listamos as 10 habilidades de vida, segundo definidas pela OMS (Organização Mundial da Saúde, órgão da ONU). Confira:

Autoconhecimento

É importante que cada um tenha conhecimento de suas capacidades, habilidades e seus limites. Antes de conhecer o outro, a gente precisa entender e respeitar a si mesmo.

Relacionamento interpessoal

A habilidade de se relacionar! Seja fazer uma amizade, acabar um relacionamento.. todo contato com o próximo envolve relações! Assim, respeitando a si mesmo e ao outro, podemos trabalhar questões como preconceitos e outras diferenças que podem trazer dificuldades de relacionamento.

Empatia

A capacidade de colocar-se no lugar do outro. Ao fazer isso, a gente entende as motivações e dificuldades que o outro está passando – e podemos ajuda-lo de maneira mais assertiva, melhorando relacionamentos, por exemplo.

Lidar com os sentimentos

Reconhecer as emoções, em si mesmo e no outro. O quanto essas emoções influenciam na minha relação com o próximo? Se não consigo identificar e lidar com os sentimentos, é possível que isso vá gerar problemas.

Lidar com o estresse

Temos que reconhecer as fontes de estresse e pensar em ações para reduzi-lo ou elimina-lo. Tudo aquilo que nos desequilibra ou ameaça nosso bem-estar, pode apresentar um desgaste ao nosso organismo. 

Comunicação eficaz

Você pode ter autoconhecimento, lidar com suas emoções.. mas precisa saber expressar suas opiniões, necessidades e desejos de maneira clara! Mais do que falar, a comunicação compreende o entender por parte do receptor da mensagem.

Pensamento crítico

A capacidade de analisar informações ou situações de diferentes ângulos: pontos positivos, pontos negativos, questionar! Tudo contribui para que tenhamos opiniões mais consistentes, para que sejamos mais flexíveis e façamos escolhas mais responsáveis.

Pensamento criativo

Explorar alternativas disponíveis! Como resolver problemas de maneira rápida e eficaz – sem medo de errar e parecer ridículo ao expor suas ideias? No dia-a-dia, isso ajuda a encontrar alternativas diferentes das habituais para resolver problemas triviais.

Tomada de decisão

A capacidade de analisar riscos, fatores e consequências de uma ação. Estimula a responsabilidade e a criação de critérios, para evitar sentimentos como culpa ou arrependimento ao tomar alguma decisão.

Resolução de problemas

Assim como o pensamento criativo, é a habilidade de enfrentar situações adversas utilizando capacidades pessoais. Ao exercitar isso, aprende-se que resolver problemas está associado a um método, e não sorte ou intuição.

Como aplicar habilidades de vida, na sua vida

Tá, mas e na prática?

Afinal, se as habilidades de vida tem esse viés tão voltado para sua aplicabilidade no nosso cotidiano, como podemos trabalhá-las, objetivamente, no dia-a-dia?

Não por coincidência, muitas das habilidades de vida são trabalhadas, de forma lúdica (às vezes sem nem perceber!), em jogos da Imagine-me:

O Imagine-me ZERO fomenta a habilidade de vida de relacionamento interpessoal, ao jogar em grupo!

Veja, ao lado, como ele faz isso 👉

Já o Imagine-me DOIS trabalha a empatia e inteligência emocional: ou seja, a habilidade de vida de lidar com os sentimentos!

Descubra como ao lado 👉

O Criaventura fomenta os pensamentos crítico e criativo com sua dinâmica de fazer sentido de elementos muito diferentes entre si para desenvolver histórias criativas!

Conheça os vááários jeitos de aplicar 👉

E você, já trabalha com as habilidades de vida no seu dia a dia?

Conta pra gente nos comentários!
EQUIPE IMAGINE-ME

Gostou do texto? Então você precisa conhecer estes recursos criativos!