A importância dos jogos educativos no ensino que poucos sabem

Os jogos educativos possuem um papel fundamental no aprendizado. Eles elevam o interesse dos alunos e fazem com que a monotonia de um dia a dia de sala de aula seja quebrada. Com isso, os alunos exercitam habilidades cognitivas que jogos comuns (cuja finalidade seja puramente de lazer) não são capazes! Pra ilustrar, olha a história da professora Ana:

Essa é a profa. Ana

A professora Ana decidiu incorporar jogos educativos em sua prática diária na sala de aula. Ela selecionou jogos que complementassem o conteúdo curricular, como jogos de matemática para aprender as operações básicas e jogos de história para ajudar na memorização de datas importantes. 

Ana notou que os alunos estavam mais engajados e participativos nas atividades com jogos, além de terem uma maior compreensão dos assuntos. Ela também observou que os alunos estavam mais dispostos a colaborar e a trabalhar em equipe durante os jogos. A prática de Ana com jogos educativos mostrou-se eficaz no aprendizado dos alunos e na melhoria do ambiente escolar.

Esse relato serve para afirmar: os jogos educativos são uma ótima maneira de tornar o aprendizado mais divertido e engajador, proporcionando momentos ideais para construir as habilidades de vida. É importante, no entanto, destacar que o papel do professor é fundamental para garantir que os jogos sejam aproveitados da melhor forma pelos alunos. Neste texto, discutiremos mais sobre a função do professor-facilitador nos jogos educativos e como eles podem contribuir para o desenvolvimento cognitivo e emocional das crianças.

A função do professor-facilitador

O professor tem extrema importância na escolha e utilização dos jogos. Isso porque cada jogo traz benefícios diferentes. Cada professor tem uma abordagem e, por isso, vai fazer melhor uso de jogos específicos.

Um jogo de dados pode ser utilizado para aprender a matemática unicamente por causa dos números, por exemplo. Também, pode ser utilizado para jogar General, assim usando as combinações de dados para trabalhar probabilidades ou estratégia, que tal?

É importante destacar que os jogos didáticos treinam o desenvolvimento das operações cognitivas necessárias na atividade escolar, mas não permitem uma aprendizagem direta. (…) Cabe ao professor propiciar a interação entre os alunos favorecendo o crescimento pessoal de cada um.

Fonte: Criatividade e Jogos Didáticos 

jogos educativos com dados
Jogos de dados podem ser surpreendentemente efetivos como práticas pedagógicas!

Como falamos em um post anterior, os benefícios de utilizar brincadeiras em sala de aula são inúmeros:

  • trabalhar a imaginação da criança;
  • desenvolver a coordenação motora;
  • estimular o raciocínio;
  • ajudar na comunicação com os colegas;
  • colaborar com a memorização;
  • desenvolver o interesse pela leitura.

A maioria dos jogos educativos permite que os benefícios sejam aproveitados com uma certa liberdade por parte dos jogadores, mas eles são melhores aproveitados quando há a facilitação do professor junto aos pequenos jogadores. 

Há de se entender que facilitar não é interferir demais, pois isso pode prejudicar a ludicidade do jogo. “Se o aluno for obrigado a jogar por exigência do professor, o aluno fica contrariado; se as regras não forem bem entendidas pelos alunos, eles ficam desorientados.” A percepção disso por parte do professor, durante a aplicação do jogo, é fundamental para que os resultados sejam atingidos.

criança brincando com jogo educativo
A liberdade no jogo é importante, mas a facilitação em alguns casos é imprescindível.

Motivação e atenção

Devido a dinâmica dos jogos, os alunos precisam estar atentos por longos períodos, e um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Wisconsin nos Estados Unidos, descobriu que os jogos realmente beneficiam os alunos, ajudando-os a moldar sua atenção e treinando o cérebro em como aprender.

Outro estudo, no Reino Unido, mostra que as atividades com jogos em sala de aula aumentam a motivação geral dos alunos, fazendo com que estejam mais motivados a prestar mais atenção, ser mais participativos e ser mais pró-ativos nas atividades. Importante destacar que este resultado só é possível se o aprendizado for a parte lúdica e não apenas um adendo à atividade. 

E a criança aprende o que com isso?

Em um primeiro momento, a criança precisa aproveitar o jogo. Sim, o objetivo ao utilizar um jogo educativo é aprender alguma coisa, mas ser feliz brincando e aproveitando os pequenos prazeres do jogo é imprescindível.

Nem sempre a criança vai ser a vencedora e em algum momento vai perder. Aliás, perder faz parte do processo. Segundo ORSO (1999), citado neste artigo aqui, “A criança precisa ser alguém que joga para que, mais tarde, saiba ser alguém que age, convivendo sadiamente com as regras do jogo da vida. Saber ganhar e perder deveria acompanhar a todos sempre.”

Também, durante essa gangorra de ‘vitórias e derrotas’ nos jogos, a criança aprende a lidar com suas emoções. Frustrada com a derrota, triste com a oportunidade perdida de ganhar, feliz e empolgada com a possibilidade da vitória.. Tudo isso vai criando uma ‘casca emocional’ aos poucos. 

emoções e infância
Um carrossel de emoções

Em resumo, os jogos educativos são uma ferramenta valiosa para o desenvolvimento cognitivo e socioemocional das crianças. Além de lúdicos, quando usados pedagogicamente auxiliam no aprendizado de inúmeros conhecimentos e contribuem para que, no futuro, a criança possa ser um adulto capaz de ganhar, perder e se divertir. Sim, porque nem sempre vamos ganhar – mas devemos sempre nos divertir! 😉

Conheça nossos produtos e veja seus alunos terem resultados que farão os pais super orgulhosos! 

Encante-se com o Imagine-me DOIS, o jogo criativo que usa as emoções como ingrediente para criatividade 👇

Um abraço!
EQUIPE IMAGINE-ME

Que tal iniciar as crianças no mundo da fotografia infantil?

fotografia infantil

Com a facilidade de acesso ao celular pelas crianças hoje em dia, a fotografia infantil é uma possibilidade cada vez mais presente no horizonte das famílias. Guardar momentos, registrar lembranças.. mas que tal a gente fazer algumas atividades para instigar e gerar mais interesse pela fotografia por parte das crianças?

Vamos do princípio: o que é a fotografia?

A origem etimológica de “fotografia” vem do grego e quer dizer “gravar com luz“: “foto” (luz) e “graphein” (escrever, gravar).

criança praticando fotografia infantil
Fotorgrafar é como compor um texto: só que se usa o olhar e a luz ao invés do papel e caneta!

Fotografia é criação, é experimentação, é registro!
E todo momento é um momento para tirar fotos. 

A primeira fotografia propriamente dita foi obra do francês Joseph Niépce (1763-1828), no ano de 1826, mas as  primeiras experiências fotográficas de químicos e alquimistas datam de cerca 350 a.C. A primeira fotografia colorida seria criada alguns anos depois, em 1861, pelo físico escocês James Clerk Maxwell (1831-1879).

Benefícios da fotografia infantil

A fotografia é uma arte que envolve muita criatividade. Ainda, é uma ótima maneira para que as crianças possam se expressar e também é um exercício para estimular o poder de observação das crianças, desde cedo.

É um meio interessante para que a criança possa aprender a se adaptar: usualmente, o fotógrafo é quem se adapta ao ambiente – já que nem sempre há um cenário preparado em estúdio para tirar fotos. Visualizar a melhor maneira de captar uma boa imagem exige calma, observação e experimentação – e diferentes abordagens acabam em diferentes resultados. Isso pode ser benéfico para que os pequenos aprendam que, ainda que num mesmo ambiente, podem alternar pontos de vista para propostas muito diferentes de outras.

Como facilitar a fotografia infantil?

Que tal começar fazendo uma experiência? Bora fazer uma câmara escura numa caixa de sapato? Vamos deixar um vídeo do Museu de Arte Sacra de São Paulo que explica direitinho como fazer. 😀

Mas, se você preferir, pode começar com o celular mesmo – caso não haja acesso a alguma câmera – digital ou analógica. Segue aqui algumas umas dicas para começar, na prática, a inserir as crianças no mundo da fotografia:

📷

Primeiro, podemos explicar alguns recursos simples, como zoom, foco e flash.

🖼️

Mostre como fazer um bom enquadramento, centralizando um objeto, por exemplo, e também mostrando o que é a linha do horizonte.

🔦

Trabalhar luz e sombra: testar e mostrar os mesmos detalhes com iluminações diferentes.

🎞️

Deixe eles brincarem! As primeiras fotos vão sair ruins, provavelmente, mas com o tempo dá pra ir mostrando a evolução e eles entenderem o que pode ser diferente.

🐕

Utilize temas! Vá em um passeio e foque em um tema: pessoas, paisagens, objetos.. cada resultado vai ser diferente e pode despertar o gosto por algum tipo de foto específico na criança.

🖨️

Imprima as fotos! Ver as fotos no papel é uma maneira de que as crianças possam recontar aquele momento, ou explicar o que estavam querendo fazer/mostrar naquela hora. E por que não, depois de imprimir, recortar as fotos e mesclar com colagens, com desenhos, e aproveitar as fotografias para expandir o momento artístico?

👨‍🎨

E MAIS: que tal utilizar as cartas do Imagine-me para criar desenhos que podem estar inseridos dentro das fotos que a criança tirou? 

Aproveite esses momentos de ‘aulas fotográficas’ para passar mais tempo com as crianças e fazer parte da experiência! Estar presente é ótimo para qualquer atividade – aprender e explorar junto com eles ajuda a se sentirem seguros e confiantes.

Boas fotos!
EQUIPE IMAGINE-ME

Fontes:

https://www.tuiuti.edu.br/blog-tuiuti/diga-x-uma-breve-historia-da-fotografia
https://www.fotografia-dg.com/interesse-criancas-por-fotografia/
https://labedu.org.br/dicas-de-fotografia-para-criancas/
https://www.todamateria.com.br/historia-da-fotografia/
https://soumamae.com.br/beneficios-dos-cursos-de-fotografia-para-criancas/

Jogos de dados: muito além do tabuleiro

jogue um dado

Podemos afirmar com 99,98% de certeza que você que está lendo este texto, em algum momento da sua vida, já jogou jogos de dados, certo? Seja para jogar algum jogo, seja para decidir quem começa alguma atividade, seja jogando um RPG ou apenas por jogar um dado ao léu – quase todo mundo já jogou um dado na vida.

Mas, o que são dados?

Dados são poliedros (sólidos com um certo número de faces) gravados com instruções: podem ser números (o mais comum), textos ou até figuras!

Os dados são utilizados para trazer aleatoriedade para alguma situação. É muito provável que você tenha jogado o dado de seis lados – o mais usual -, mas você sabia que os dados podem ter 3, 4, 8, 10, 12, 20 lados… Existe até dado de 100 lados!

Dados podem ter mais (ou até menos) do que 6 lados 😉


Curiosidade

Você sabia que a soma dos lados opostos de um dado sempre dão o mesmo resultado?
No caso do dado de 6 lados, a soma é sempre 7!
O número 1 está no lado o oposto ao 6; o 2 oposto ao 5; e o 3 oposto ao 4.

E agora, que tal conhecer alguns jogos de dados menos usuais?

Vamos deixar duas dicas para a utilização de dados aqui! Você pode se divertir com um jogo clássico ou mesmo uma adaptação de um jogo existente, que tal?

General

General é um jogo de dados para dois ou mais jogadores onde joga-se 5 dados para marcar jogadas em uma cartela. São 13 rodadas onde você precisa fazer trincas, quadras, sequências, somas dos dados... clique AQUI para conhecer mais as regras – mas já adiantamos que é muito divertido!


Kiriki

O primeiro jogador lança dois dados com a ajuda de um copo (não-transparente!) e não deixa ninguém ver. Ele levanta o copo e apenas ele vê quanto deu a soma dos dois dados e, na sequência, anuncia o valor. O primeiro jogador a acertar qual foi a combinação dos dados, marca um ponto e anota num papel uma das letras da palavra KIRIKI. Se ninguém acertar, ponto de quem jogou o dado! Quem formar a palavra KIRIKI primeiro, ganha o jogo. 
Exemplo: O jogador anuncia que a soma deu 9. As combinações possíveis são 6+3 ou 5+4. 

Dica:

Com dois dados, é um jogo rápido e fácil de jogar.
Você pode adicionar mais um dado e aí o jogo fica mais desafiador!

Educação infantil com desenho

Misturar com Imagine-me?!

Já pensou em utilizar dados enquanto desenha com Imagine-me? Seja para alterar o número de características do personagem ou ainda para adicionar detalhes aleatórios, você pode criar regras alternativas e tornar o Imagine-me ainda mais divertido! 😁

Aqui vai uma dica de orientações que você pode usar:

  • 1 = Adicione (pelo menos) mais um olho;
  • 2 = Adicione mais uma boca;
  • 3 = Adicione uma peça de roupa e um acessório ao personagem;
  • 4 = Faça o personagem numa pose esquisita;
  • 5 = mude uma quantidade indicada em uma das cartas;
  • 6 = Dê um superpoder ao personagem.

Ah, e para finalizar: você sabia que o Google disponibiliza um dado online para você utilizar aí mesmo, em qualquer momento?
Acesse AQUI e escolha quantos lados e quantos dados você quer jogar e veja a magia (na verdade, a tecnologia!) acontecer.


Boa diversão!
EQUIPE IMAGINE-ME

Fontes:
https://lunetas.com.br/10-jogos-de-dados-e-cartas-para-brincar-em-familia/ 
https://pt.wikipedia.org/wiki/Dado_(jogo)

Como estimular a criatividade infantil (e a sua também)? Veja essas 7 ideias!

O assunto não é novo, certamente você já se deparou com algumas alternativas sobre o como fomentar a criatividade infantil.

Acontece que a maneira que estimulamos a criatividade ela se transforma com o passar do tempo, nossas percepções mudam, nossa maneira de realizar as atividades e até mesmo utilizar um brinquedo, tudo isso muda. 

Para te ajudar a entender maneiras de seguir estimulando a criatividade, temos uma lista com algumas palestras do TED para você. 🤗

Aproveite e dê o play! ▶️


Uma das melhores fontes de criatividade infantil? Caminhar!

Ao tentar ter uma nova ideia, todos nós temos momentos em que ficamos presos. Mas, de acordo com a pesquisa da cientista comportamental e de aprendizado Marily Oppezzo, levantar e dar uma caminhada pode ser tudo o que você precisa para fazer sua criatividade fluir.

Nesta conversa divertida e rápida, ela explica como caminhar pode ajudá-lo a aproveitar ao máximo seu próximo brainstorm.


Os hábitos surpreendentes dos pensadores originais

Como as pessoas criativas têm grandes ideias? O psicólogo organizacional Adam Grant estuda os “originais”: pensadores que sonham com novas ideias e agem para colocá-las no mundo. Nesta palestra, aprenda três hábitos inesperados dos originais – incluindo abraçar o fracasso.

“Os maiores originais são os que mais falham, porque são os que mais tentam”, diz Grant. “Você precisa de muitas ideias ruins para ter algumas boas.”


Um jogo de palavras para criatividade infantil

Shimpei Takahashi sempre sonhou em desenhar brinquedos. Mas quando começou a trabalhar como desenvolvedor de brinquedos, descobriu que a pressão para produzir esmagou sua criatividade.

Nesta conversa curta e engraçada, Takahashi descreve como ele conseguiu que suas ideias fluíssem novamente e compartilha um jogo de palavras simples que qualquer um pode jogar para gerar novas ideias. (Em japonês com legendas em inglês.)


Leia também:
5 Truques criativos, para pintar e desenhar com as crianças!


A frustração é amiga da craitividade infantil

Desafios e problemas podem atrapalhar seu processo criativo… ou podem torná-lo mais criativo do que nunca. Na surpreendente história por trás do álbum de piano solo mais vendido de todos os tempos, Tim Harford pode convencê-lo das vantagens de ter que trabalhar com um pouco de bagunça.


Crianças criativas inventam novas palavras!

Nesta divertida e curta palestra do TEDYouth, a lexicógrafa Erin McKean encoraja seu público a criar novas palavras quando as existentes não funcionarem.

Ela lista 6 maneiras de criar novas palavras em inglês, de composição a “verbação”, a fim de tornar a linguagem melhor para expressar o que queremos dizer e criar mais maneiras de nos entendermos.


Como o tédio pode levar à mais criatividade infantil

Às vezes você tem suas ideias mais criativas enquanto dobra a roupa, lava a louça ou não faz nada em particular?

É porque quando seu corpo entra no piloto automático, seu cérebro fica ocupado formando novas conexões neurais que conectam ideias e resolvem problemas. Aprenda a amar o tédio enquanto Manoush Zomorodi explica a conexão entre espaçamento e criatividade.


O que aprendi com 100 dias de rejeição

Jia Jiang se aventura corajosamente em um território que muitos de nós tememos: a rejeição.

Ao buscar a rejeição por 100 dias – desde pedir a um estranho para pedir US$ 100 emprestados a pedir um “refil de hambúrguer” em um restaurante – Jiang se dessensibilizou para a dor e a vergonha que a rejeição muitas vezes traz e, no processo, descobriu que simplesmente pedir pois o que você quer pode abrir possibilidades onde você espera encontrar becos sem saída.


Agora é só escolher por onde começar e dar o play. ▶️

Aproveite para anotar as ideias que te chamam a atenção para experimentar colocar em prática! 😊

EQUIPE IMAGINE-ME

5 Dicas de atividades de Carnaval para crianças, em casa!

brincadeira de criança no carnaval

O feriado está se aproximando e a família ainda não tem atividades de carnaval para crianças planejadas?

Não tema! Nada que uma boa dose de criatividade e diversão não resolva. 🙂

Lembre-se que sempre há uma maneira de transformar o ambiente e aproveitar as datas temáticas para curtir o momento com as crianças! 

brincadeira de criança
carnaval para crianças? Temos algumas ideias!

As dicas abaixo podem ser adaptadas e aproveitadas de acordo com a sua realidade e com os materiais que você tem facilidade de encontrar, o mais legal é que cada um pode criar o seu próprio bloquinho de carnaval de forma criativa. 

O que fazer para ter um carnaval para crianças com muita diversão e criatividade? 

1. Transforme o ambiente

Uma boa decoração faz toda a diferença e neste momento, vale colocar a família toda para trabalhar. Vale utilizar serpentinas, confetes, fitas coloridas, bandeirinhas, todo e qualquer tipo de material que estiver sobrando nos armários, pode se transformar em elementos decorativos. 

brincadeira de criança no carnaval

2. Um carnaval para crianças tem que ter personagens divertidos!

E se cada pessoa se transformasse em um personagem? A imaginação chega a ferver! Vale usar e abusar da criatividade, e não precisa ter um figurino pronto. Durante a criação dos personagens, a família pode aproveitar o momento para a criação de máscaras, o resultado pode ser muito divertido! 

3. Não se esqueça da playlist

Uma boa playlist para colocar toda a família na pista de dança (ou no tapete?). Este momento é uma ótima oportunidade para as crianças escolherem as suas músicas e vale lembrar que tem espaço para todos os estilos, se cada um contribuir um pouquinho, a trilha sonora está garantida! 

carnaval para crianças

4. E na hora de repor as energias?

Não se esqueça de planejar os lanchinhos da folia. Alimentos leves e petiscos podem ser ideais para não dar muito trabalho e também serem adaptáveis para a temática. Um piquenique no chão da sala, por exemplo, pode ser super divertido e vocês podem aproveitar a produção dos lanchinhos para trazer ainda mais ideias. 

Leia mais:
Como transformar a hora do lanche em um momento criativo?

5. Tédio? Aqui não!

Prepare-se para mandar o tédio pra longe de vocês. Separe alguns jogos para reunir a família e colocar todo mundo para se divertir. A gente tem um post no Instagram com algumas dicas de jogos de baralho para toda a família: Mau mau, Papa-tudo, Mico, corre aqui pra ver e aproveita para seguir a gente. 


Seja em casa, seja na casa dos amigos, no parque, na escola, o importante é transformar o Carnaval em uma oportunidade de fazer algo novo em família.

Sem dúvidas a criatividade pode deixar o feriado ainda mais legal e com novas possibilidades de brincar, mesmo que seja em espaços pequenos e sem muitos recursos. Afinal, sabemos que a imaginação dá conta do recado! 

Curtiu as ideias? A lojinha da Imagine-me também está recheada de opções de jogos para colocar toda a família para se divertir. Aproveite os diversos modos de jogo para curtir o feriado de uma maneira criativa! 

Autonomia infantil e respeito ao desenvolvimento das crianças

Quando falamos em autonomia infantil e independência, pensamos em situações que nós, adultos, viveríamos, mas as crianças também precisam de autonomia. O espaço para desbravar suas próprias vontades, tomar decisões e enfrentar suas escolhas é super importante.

Este tipo de experiência proporciona amadurecimento e crescimento. Além disso, quando a criança conquista sua autonomia, ela recebe também o respeito dentro do seu espaço, onde pais, mães, avós, professores e demais adultos, entendem a importância deste desenvolvimento. 

brincadeira de criança
A autonomia infantil passa, muitas vezes, por tomar as rédeas do seu próprio aprendizado!

Estimular a autonomia infantil, com responsabilidade

Proporcionar a autonomia não significa abandonar, deixar a criança livre para lidar sozinha com suas decisões, mas sim apoiar e cuidar, respeitando o tempo dela.

Existem muitas maneiras de contribuir com o desenvolvimento da autonomia infantil, e a gente te ajuda com algumas ideias! 

Receba a nossa newsletter quinzenal onde compartilhamos conteúdos curtinhos sobre criatividade e aprendizado! Cadastre-se!

4 maneiras de estimular a autonomia infantil

autonomia infantil nas decisões

1. Envolva a criança em decisões importantes para a família:

  • O que você gostaria de comer hoje no almoço? 
  • Qual filme podemos assistir hoje de tarde?
  • Quais fotos você gostaria de colocar na estante?
autonomia infantil nas tarefas de casa

2. Compartilhe atividades domésticas com a criança:

  • Arrumar a própria cama; 
  • Guardar o pijama;
  • Guardar os brinquedos;
  • Guardar os potes de plástico;
  • Ajudar a guardar as compras do supermercado.

Lembre-se que neste caso, o ambiente deve contribuir para que a criança tenha fácil acesso e consiga guardar os objetos, alcançar os armários, para ter maior independência e contar com uma ajuda apenas quando necessária.

Leia também:
O que acontece com a sua criatividade quando você cresce?

conversa com criança

3. Conversar sobre as decisões

Lembre-se que a criança está aprendendo a tomar decisões, com isso elas podem se deparar com consequências que não estavam esperando e se arrependerem.

É essencial que aconteça um momento de conversa com as crianças, para explicar o que aconteceu e ajudá-la a ver a situação com mais clareza, para que ela pense melhor da próxima vez.

O papel do adulto é fundamental para orientar e demonstrar apoio para a criança

autonomia infantil na brincadeira

4. É hora de brincar!

O momento da brincadeira é perfeito para estimular a inteligência, a criatividade e as escolhas da criança. Ela pode tomar diversas decisões como: qual brinquedo irá usar, quais materiais vai precisar, qual desenho gostaria de fazer, qual cor ela prefere para pintar e por aí vai.

Neste momento, aproveite para dar um direcionamento e reduzir as opções, para que facilite a escolha da criança. Ter um grande número de opções pode dificultar as coisas, por exemplo: você pode oferecer 3 brincadeiras e deixar a criança escolher.


Como adultos, entendemos a importância e o valor da independência, de saber lidar com as próprias decisões e tudo isso pode começar na infância. Com os jogos da Imagine-me, você pode aproveitar o momento de diversão e estimular a autonomia infantil através da escolha de materiais e cores na hora de brincar.

Além disso, a criatividade e imaginação entram em cena, para saber mais sobre os jogos, acesse aqui!