Atividades com sons na educação

Atividades com sons na educação? Sim!!!! ✅✅✅

Sons podem ser uma ferramenta muito importante no aprendizado, tanto na educação dos filhos em casa como na dos alunos em sala de aula, e mesmo dos pacientes no consultório infantil.

Vamos começar com um exercício de imaginação:

Quando você pensa na sua infância, ou sua juventude, que cenas ou coisas lhe vêm à cabeça?

.
.
.

Alguns cheiros característicos?

Talvez um cheirinho do almoço de domingo, ou o cheiro da grama molhada?

Talvez alguns sons?

O som de um cigarra em uma tarde de verão, ou talvez uma músicas específica?

E que tal sensações?

A dor de um machucado de cair da bicileta, ou o vento no rosto em um passeio de carro?

Independentemente, certamente, você lembrou majoritariamente de muitas imagens mentais! E essa preferência acontece porque somos, principalmente, seres visuais.

Só que isso não impede, claro, que usemos nossos outros sentidos para entender o mundo à nossa volta, nos nos comunicar e, portanto, aprender! Então, apure esses ouvidos e vamos explorar essa nova fronteira de aprendizado!

Atividades com sons na educação são construídas com base em “ouvir” ou “escutar”

Já falamos aqui no blog da Imagine-me sobre a falta de atenção e concentração… E a forma pela qual ouvimos tem tudo a ver com essas competências. Afinal, a audição é um sentido muito importante quando pensamos em como prestamos atenção às coisas que nos cercam.

Atividades que usam sons na educação então, tem tudo a ver com treinar habilidades de atenção. Mas, não só isso: nossa memória, inteligência emocional, capacidade imaginativa…. todas são características que são otimizadas quando entende-se que o som pode sim ser um recurso pedagógico e terapêutico tão valioso quando os táteis ou visuais.

Mas, para funcionar corretamente, atividades aplicam uma distinção muito importante: a grande diferença entre ouvir e escutar. Você sabe qual é? Veja, em uma animação muito legal do canal TedED, as diferenças entre os mecanismos físicos e psicológicos que atuam juntos para nos permitir escutar e ouvir (lembre de ligar as legendas em Português!):

Pensando em miúdos, podemos definir a diferença entre ouvir e escutar assim:

Ouvir

Remete à audição mesmo, àquilo que o ouvido capta.

Escutar

É entender aquilo que está sendo captado.

Você já parou pra pensar quantas vezes a gente está ouvindo algo mas não está realmente prestando atenção? Pois é, não temos escutando!

Ao nascer, temos as orelhas prontas.. mas a audição ainda será desenvolvida realmente durante a infância – através de reconhecimento de sons, atenção, localização de fonte sonora e muitos outros momentos auditivos.

“Memória auditiva é a capacidade de aprender ouvindo. Treinar a atenção aos sons, a discriminação auditiva e o sequenciamento de sons ajuda a tornar a memória auditiva mais eficiente.”

Leiturinha

Por isso, é importante proporcionar um ambiente rico em estímulos, e promover atividades estimulantes como conversar com os bebês, dar atenção à fala das crianças, cantar, ler e contar histórias com entonação ou simulando efeitos sonoros, e assim por diante!

Algumas atividades com sons na educação

Pensando nisso, separamos aqui algumas dicas de atividades com sons que você pode usar na educação, seja na sala de aula ou em casa: 😉

Atividades com sons na educação: memória sonora

1. Lembranças sonoras

No começo aqui do texto falamos um pouco sobre a ideia de memória sonora! Que tal propor uma atividade que explore essa nossa capacidade de recordar e associar ideias usando os sons que já experenciamos no passado?

Passo 1️⃣

Defina uma data específica (pode ser somente um ano ou mês específicos, ou mesmo uma data exata) ou uma quantidade de X anos / meses / dias atrás.

Passo 2️⃣

Crie uma lista de todas as coisas, elementos, sensações e emoções que essa data traz para você. Busque não racionalizar: simplesmente anote tudo o que vier à mente!

Passo 3️⃣

Vendo a sua lista: quantas delas são sons? Analisando as que não são uma a uma, elas evocam algum som? O quanto o som faz realmente parte da sua memória dessa data?

Atividades com sons na educação: associa(sons)ções

2. Asso(m)ciações

Se antes recordamos ideias usando sons, aqui vamos associar ideias!

Funciona assim:

Passo 1️⃣

Separe folhas e material de desenho. Divida uma folha em 6 partes, dobrando-a pelas metades.

Passo 2️⃣

Agora, toque um som aleatório. Você pode buscar sons no Youtube*, por exemplo, ou em bibliotecas grátis como a do Dreamstime ou Freesound.

* Tente pesquisar por “amostras de som” ou “sons de ________” ).

Passo 3️⃣

A tarefa é registrar 6 coisas (palavras, ideias, objetos, eventos, ações, personagens, o que for!), uma em cada espaço da folha, que esse som remete!

Atividades com sons na educação: criando música

3. Sinfo[m]ia

Essa é um pouco mais complexa, mas muuuito interessante! Aqui o desafio é ser um compositor de uma música usando sons feitos por você mesmo.

Siga o passo a passo:

Passo 1️⃣

Primeiro, usando um app de gravação de sons no celular (muitos já vem com ele instalado de fábrica, se não você encontra várias alternativas grátis na sua loja de aplicativos), grave uma seleção de vários sons que você consiga fazer com seu corpo ou com objetos do seu entorno.

Passo 2️⃣

Agora é hora de misturar esses sons! Usando apps de celular como o AudioLab (que são super intuitivos e fáceis de usar) você pode sobrepor e ir compondo essa sua melodia muito criativa!

Passo 3️⃣

Na sequência, dê um nome para a sua composição. Ou experimente que outra pessoa crie sua própria música usando os mesmos elementos que você usou e compare o quão parecido ou diferente as composições ficaram.

Pensando em implementar algumas dessas atividades? Permita-se experimentar e depois nos conte como foi 😊

Um abraço!
EQUIPE IMAGINE-ME

Fontes: Leiturinha e Papo da Professora Denise.

Histórias para crianças criativas e diferentes

criança diferente e criativa

Você já parou para pensar no papel que histórias para crianças tiveram (ou, ainda tem) na sua vida?

Certamente você se lembra de ter familiares ou educadores contando histórias para você, ou como você consumia histórias em quadrinhos, em séries de TV ou em livros! Histórias são tão presentes quem afinal, o que não é a própria cultura, se não uma grande história que nos contamos e reforçamos?

Histórias são tão importantes para nós, como sociedade, que não é um salto muito grande afirmar que histórias estão nada menos do que na base do que nos faz humanos.

Não é a toa, então, que um bom tanto de nosso aprendizado quando crianças é mediado por histórias. Afinal, histórias tem um papel essencial para o desenvolvimento infantil. Na educação infantil, ou mesmo na terapia infantil, livros de histórias são ferramentas fundamentais não só para desenvolver a leitura, mas para o desenvolvimento linguístico e cognitivo das crianças como um todo.

Os benefícios de histórias para crianças

Histórias infantis trazem diversos benefícios para as crianças. Olha só alguns deles:

histórias para crianças criativas

No texto de uma história, palavras desconhecidas aparecem dentro de um contexto que permite ampliar o vocabulário.

Parar para ouvir uma história ajuda a desenvolver a habilidade de atenção auditiva.

ouvindo histórias para crianças
histórias infantis

Lendo, desenvolvemos nossa empatia pois conseguimos “viver outras vidas“, que podem ser muito diferentes da nossa.

Histórias nos mostram como entender e organizar o mundo à nossa volta. Elas nos ajudam a criar nossos modelos mentais!

criança diferente e criativa

e assim por diante!

Aprendemos em torno de histórias: histórias contadas, inventadas, rimadas, criadas a partir de sequências de figuras, em texto, aúdio ou mesmo vídeo… Não importa o formato ou a mídia: todos os tipos nos comovem, sensibilizam e nos desenvolvem como indivíduos!

“Contar, ouvir e recontar histórias é a base do processo de aprendizagem.”

Rosângela Marostega
fonoaudióloga infantil

Onde encontrar histórias para contar para crianças?

Mas (e esse é um grande mas!), onde achar histórias interessantes? Nossa tradição, por exemplo, está cheia delas, mas o problema é que:

Problema 1

As histórias clássicas, como a dos 3 Porquinhos ou do Patinho Feio enjoam facilmente com o tempo.

Problema 2

As histórias tradicionais são atemporais, mas algumas carregam muitos preconceitos e visões defasadas das épocas em que foram criadas!

Problema 3

Histórias de filmes animados costumam ser extremamente formulaicas e entregam tudo pronto para a criança, sem muito espaço para a criatividade ou a imaginação!

Pensando nisso, separamos aqui 3 histórias criativas que, com toda a certeza, você não viu em lugar nenhum. São histórias diferentes das que você normalmente vê por aí, e você pode usá-las como histórias de ninar, como o tema para uma brincadeira artística de construir cenários ou personagens, ou mesmo só para entreter seus pequenos.

Preparado(a)? Então aqueça o gogó e …

Era uma vez...”


histórias para crianças 1

Uma história para contar para crianças:

Um ninja de museu

Durante a noite, dentro de um museu, reinava um silêncio absoluto. Em meio ao silêncio e à escuridão, uma figura quase passou despercebida: era um ninja, que furtivamente havia invadido o museu! Mas por qual motivo ele estava lá? Ele tinha ido roubar uma obra de arte valiosíssima, que o seu clã buscava recuperar.

Para conseguir tomar posse da obra de arte, o ninja fez uma série de ações completamente inesperadas, inclusive visitar o museu durante o dia, vestindo um traje de piloto de avião, para ver onde ficavam as câmeras de segurança. Após tomar posse da obra, o ninja rapidamente saiu do museu, e ao chegar em um lugar seguro, inesperadamente tentou quebrar a moldura do quadro! Ele insistiu, mas como estava muito difícil, o ninja apelou e deu uma super mordida no canto da moldura. Acredite ou não, foi assim que ele finalmente a quebrou.

De dentro da moldura, o ninja retirou uma chave. Segundo a lenda milenar contava, essa chave abriria o baú ancestral, que continha um portal para o santuário da Deusa Atena, na Grécia, local que era habitado pelos mais poderosos guerreiros que já existiram. Será que o ninja vai até lá sozinho?


histórias para crianças 2

Uma história para contar para crianças:

Um engano egípcio

Era noite de circo! A tenda, toda colorida, abrigava gente de todos os tipos e idades. Homens, mulheres, idosos e crianças, muitos até com seus animais de estimação junto! Apesar de toda essa diversidade, o que todos tinham em comum era o fascínio com o que acontecia, naquele exato momento, no picadeiro.

A múmia malabarista do circo, levitando no ar somente por um balão, fazia seu número de malabares no ar com tochas pegando fogo. Mas, a cada arremesso, as tochas jogadas no ar se aproximavam perigosamente do balão! A múmia, compenetrada no espetáculo como era, não percebia o perigo que corria. Como que em câmera lenta, todos na plateia prenderam a respiração enquanto observavam as tochas chegarem cada vez mais perto… e perto… e peeeeerrttooooo….. até que…. PUM! Com um estouro, ela começou a cair em direção ao chão!!!!!

Não deu tempo nem de piscar: logo depois só se ouviu um CATAPLOFT!!! “Oh não….” todos pensaram. Ao abrir os olhos, enquanto todos esperavam uma geleia de múmia no chão, se maravilharam ao descobrir que a múmia havia caído exatamente em cima do elefante! Que sorte, hein múmia? Mas melhor cuidar mais da próxima vez e jogar as tochas a uma distância segura, viu?


História para crianças 3

Uma história para contar para crianças:

Dolores, pipocas e um sonho

Estava calor – um dia perfeito para ir ao parque de diversões. Dolores, uma múmia que morava num sarcófago perto dali, decidiu dar um passeio e foi até o parque. Ela se encantou pelos balões que eram vendidos ali e comprou um. Amarrou em uma de suas tiras e achou bonito demais, decidiu comprar mais um. E mais um. E mais um!

Quando se deu por conta, por ter amarrado tantos balões nas suas tiras, ela estava voando! Tinha certeza que ia acabar beijando os céus! Começou a pedir ajuda e o pipoqueiro, vendo aquela cena, não pensou duas vezes: começou a atirar pipocas para estourar os balões. Demorou um pouco mas ele conseguiu trazer a múmia de volta para o chão, ufa! A múmia agradeceu muito a ajuda e perguntou se ela podia fazer algo por ele. O pipoqueiro comentou que o sonho dele era viajar e a múmia não teve dúvidas: deu de presente ao pipoqueiro alguns balões e amarrou todos na cintura dele. Ele começou a voar – desesperado pois não era bem o tipo de viagem que ele tinha imaginado – e a múmia saiu feliz e satisfeita por ter ‘atendido o desejo’ do seu salvador. O pipoqueiro acabou indo parar numa ilha onde ele descobriu dinossauros – mas isso fica para uma ouuuutra história…



Essas 3 histórias diferentes foram criadas com o jogo educativo Criaventura, da Imagine-me.

Que tal criar as suas também?

Você, pai ou mãe, conta pra gente: onde você busca as histórias que você conta para seus pequenos?

E você, terapeuta infantil, usa histórias como ferramenta terapêutica nos seus atendimentos?
Conta pra gente nos comentários.

Um abraço!
EQUIPE IMAGINE-ME

Falta de atenção e concentração infantil: tem jeito?

atenção infantil

Problemas como dificuldade de memorização, falta de atenção e concentração infantil são mais comuns do que se imagina!

Um estudo conduzidon pela YouGov, empresa de pesquisa britânica, por exemplo, apontou que um em cada quatro professores afirmam que as crianças que estão começando a frequentar as aulas não conseguem seguir instruções básicas, além de outras dificuldades, incluindo a capacidade de se concentrar por curtos períodos de tempo.

Afinal, todo mundo sabe quão dispersa e animada pode ser a vida das crianças!

O problema é que, apesar de essa movimentação toda ser essencial para o desenvolvimento das crianças, toda essa energia pode acabar causando uma boa dose de problemas de atenção excessivamente dispersa e dificuldades de concentração. Em um mundo hiperconectado e com excesso de estímulos a todo o momento como o nosso então, aprender a melhor canalizar a atenção fica ainda mais importante!

Pensando nisso, separamos aqui algumas dicas de exercicios para melhorar a concentração infantil e lidar com dificuldade de memorização e atenção infantil (e, quem sabe, de adultos também). Boa leitura!

Testando a concentração infantil

atenção infantil
O que marshmallows nos ensinam sobre foco e atenção infantis

Na década de 60 o psicólogo Walter Mischel, da Universidade de Stanford, conduziu um estudo para testar o autocontrole infantil. Crianças de 7 a 9 anos eram deixadas sozinhas em uma sala com apenas uma mesa e uma cadeira e, em cima da mesa, um marshmallow. Elas eram informadas de que, caso esperassem até o pesquisador voltar à sala para comer o doce em cima da mesa, iriam receber um outro depois. As mesmas crianças foram acompanhadas anos depois, já adultas, quando constatou-se que aquelas que conseguiam esperar a recompensa em dobro tiveram mais sucesso na vida adulta.

O que pouca gente sabe é que o estudo foi repetido em 2019, desta vez por pesquisadores canadenses. E, desta vez, com muito mais crianças! Eles usaram os dados de 2850 meninos e meninas em idade pré-escolar e, 30 anos depois, avaliaram como estavam se saindo. E os resultados se repetiram: mostraram que as crianças que conseguiram manter o foco e não comer o doce acabaram sendo mais bem-sucedidas no futuro, e que as que foram mais sociáveis durante o experimento acabaram tendo melhores salários na vida adulta.

Ou seja, está mais do que claro que tanto o foco quanto a sociabilidade são componentes importantes para prever o sucesso no futuro!

concentração infantil em brinquedo educativo
Na vida assim como no jogo: disciplina, resiliência e persistência costumam levar ao sucesso.

Jogos e brinquedos educativos para enfrentar a falta de atenção e melhorar a concentração infantil?

Os brinquedos ‘do mundo real’ podem ajudar não só em questões (muito importantes, diga-se de passagem) como entretenimento, habilidades comunicacionais, interação social e coordenação motora, mas também na concentração! Jogos de concentração e atenção infantil possibiltiam que o jogador tente desvendar um mistério, resolver um quebra-cabeça ou enigma, tentar criar um novo personagem.. tudo isso faz com que a criança precise passar um tempo pensando e exercitando a concentração.

Reparou no grifo na palavra “precise” no parágrafo anterior? Não é por acaso, pois essa é a chave: é através da dinâmica lúdica da brincadeira educativa que se consegue estimular a criança a canalizar sua atenção para a tarefa divertida do jogo! A brincadeira acaba sendo aquele empurrãozinho que faltava para que a criança, sem nem perceber, se force a condicionar-se a melhor usar esse recurso tão importante que é a sua capacidade de atenção!

E o melhor é que esse treinamento pode ser feito tanto em atividade escolares quanto no momento de diversão em casa.

Que tal aproveitar e escolher o brinquedo educativo Imagine-me ideal para exercitar a memorização, atenção e concentração do seu pequeno? 😊

Assista ao vídeo para ver um jeito de estimular o foco e a atenção usando o jogo educativo Criaventura, da Imagine-me:

Depois aproveite e confira o Criaventura (e os outros jogos e brinquedos educativos) na loja 🙂

Um abraço!
EQUIPE IMAGINE-ME

Fontes: Revista Crescer e Blog da Rihappy 🙂

Como escolher a próxima brincadeira com criatividade?

Uma das coisas mais comuns, na hora de brincar, é que as crianças ficam sem ideia do que querem fazer. Isso pode acontecer por inúmeros motivos, principalmente por termos todas as opções, não sabemos por onde começar. Para te ajudar a escolher uma brincadeira com os pequenos, adivinha só… temos uma outra brincadeira! 

Que tal criarmos um estoque de brincadeiras e ideias para passar o tempo? 

Esta é uma atividade que estimula a criatividade das crianças e também é super útil nos finais de semana e férias, quando elas têm tempo para se divertir e as ideias podem acabar. 

Para criar o seu estoque de diversão, você pode seguir os passos abaixo: 


1

Reúna as crianças e façam uma lista de brincadeiras legais, possíveis de serem realizadas em casa. Neste momento, é legal deixar a criança pensar, para que ela veja possibilidades novas em um ambiente que já está acostumada. Assim ela poderá ter ideias diferentes, com os mesmos brinquedos.


2

Com a listinha feita, é hora de montar o pote! Pegue um pote, pode ser de vidro ou tipo um cofrinho.


3

Escreva cada brincadeira em um pedacinho de papel, dobre e deixe lá dentro. 


4

Assim, quando os pequenos estiverem sem ideias, eles poderão recorrer ao pote da diversão!

O Imagine-me ZERO pode ser uma ótima alternativa para o pote da diversão! Com o jogo, você aprende criando: desenvolve personagens fantásticos enquanto exercita sua criatividade e capacidade imaginativa e de expressão.

Clique aqui e confira.

Explore as possibilidades

Você pode usar esta técnica com outros assuntos da casa, como por exemplo o cardápio. Crie um pote com algumas sugestões de lanchinho e deixe a criança sortear para escolher qual será o lanche do dia seguinte, algo neste sentido. Quem sabe criar um pote com os livros e filmes? Para os dias chuvosos, pode ser uma ótima maneira de manter a família entretida.

É uma maneira simples e prática de envolver as crianças nas decisões e também se divertir. Com certeza elas vão gostar de ter a surpresa ao retirar um papelzinho do pote.

É ruim a criança ficar “sem ideias”?
Não, o tédio pode ser um grande estímulo!

De acordo com o Dr. Sandi Mann, psicóloga da University of Central Lancashire na Grã-Bretanha, quando ficamos entediados o cérebro sai do consciente e entra no subconsciente, absorvendo e refletindo sobre situações conhecidas. 

Em 2013, a Dra. Mann publicou os resultados de um estudo sobre o tédio. No estudo, ela pediu para que os participantes imaginassem formas inventivas de utilizar dois copos de espuma. A Dra. descobriu dessa forma que as pessoas que tinham acabado de passar um tempo realizando tarefas entediantes tinham ideias mais originais do que os seus colegas que não haviam passado por essa experiência.

A pesquisa concluiu que quando estamos vivendo uma situação tediosa, a nossa mente começa a procurar estímulo em suas mentes subconscientes. Sem dúvida, no subconsciente se produz um pensamento inovador. 

Você pode ler mais sobre o Tédio X Criatividade, aqui!

Oferecer possibilidades para novas experiências e envolver as crianças no processo, pode ser muito valioso para o desenvolvimento criativo, mas cada criança tem um seu tempo e a sua maneira de fazer. Dê espaço e incentivo para que ela descubra! 

Brincadeiras criativas para fazer no carro!

A família está de malas prontas para uma viagem na quarentena? Oba! Nada melhor do que pegar a estrada para renovar as energias, mas as viagens longas podem ser um sufoco para as crianças. Duas, três horas no banco do carro… pode ser uma experiência bem chata, ou não.

Para te ajudar a ter um momento muito mais divertido em família, selecionamos algumas brincadeiras criativas que podem ser feitas no carro, ao longo de uma viagem. 

Você pode aproveitar este momento para estimular a criatividade e desenvoltura das crianças, através de brincadeiras que vão fazer a viagem até passar mais rápido! Anote as dicas abaixo e não perca a oportunidade de testar: 

1. Karaokê criativo

Quem canta os males espanta! 

Uma pessoa do carro escolhe um termo, por exemplo “felicidade”. As outras pessoas precisam cantar uma música que possui o termo escolhido, por exemplo:

  • “Quando não souber o que pedir, peça felicidade…
  • Quando não souber o que doar, doe sua metade”.

2. Adivinhe no que estou pensando

Nada como uma boa charadinha para fazer o tempo passar. Uma pessoa pensa no nome de um filme, pessoa famosa ou lugar. Então, os outros participantes devem fazer perguntas em que as respostas sejam apenas sim ou não.

Com as pistas acumuladas, vence quem conseguir adivinhar em quem ou o que a pessoa estava pensando. O ganhador será o próximo a pensar!

Leia também:
Livros sobre criatividade para quem quer desenvolver crianças criativas!

3. Cor do carro

Tem alguém competitivo aí? Cada participante pode escolher uma cor e cada carro que passar, com a cor correspondente, conta como um ponto. 

Quem acumular mais pontos ao final da viagem, ganha o jogo! Não se esqueça de ficar atento na estrada 😉

4. Leve o seu Criaventura para a viagem

Criar e contar histórias é uma das brincadeiras mais antigas da humanidade; e também uma das mais impactantes! Leve o seu Criaventura e aproveite para criar boas histórias ao longo da viagem. Sem dúvidas a família vai se divertir e se surpreender com as criações.

Ainda não tem o jogo Criaventura?
Clique aqui e garanta o seu!

5. Adivinhe a música

Mais uma brincadeira musical, afinal música nunca é demais. Um participante deve cantarolar uma música e os outros participantes devem adivinhar qual é a música. Quem acertar o maior número de vezes, vence!

6. Fui na feira e comprei…

Vamos colocar essa memória para funcionar? O jogo é bem simples e pode render boas risadas! 

O primeiro integrante começa dizendo a frase “fui à feira e comprei…” e completa com algum alimento que podemos encontrar na feira com a letra A. Já o segundo participante, deve continuar a lista de compras e adicionar um ingrediente que comece com a letra B. 

Exemplos:

Participante 1: fui à feira e comprei amora; 

Participante 2: fui à feira e comprei amora e brócolis; 

Participante 3: fui à feira e comprei amora, brócolis e cebola. 

E assim por diante! Você pode aproveitar a brincadeira e estimular o consumo de novos alimentos entre as crianças, como por exemplo: pessoal, o que acham de fazermos um brócolis hoje no jantar? 

Veja também:
Descubra que tipo de LEITOR VISUAL você é!

7. Quem sabe mais?

Um jogo bem parecido com o tradicional Stop. Escolha um tema geral, por exemplo: animais. Cada participante fala o nome de um animal, até que a memória comece a falhar e um único participante vença.

É um ótimo exercício para que as crianças também conheçam novos nomes de animais, cores ou alimentos.

Quer fazer uma versão mais difícil do “Quem sabe mais?”, escolha uma placa de carro na estrada e faça uma rodada com a letra inicial da placa. Exemplo: 

A placa escolhida é: BRA2E19

Todos os participantes devem dizer palavras que comecem com a letra B!

Com todas essas ideias, sem dúvidas as viagens serão muito mais divertidas e rápidas. Aproveite os momentos “livres” para brincar com as crianças, assim vocês curtem o tempo juntos, exercitam a memória, estimulam a criatividade, dão boas risadas e elas não vão sentir falta da televisão ou tablet. 

Não deixe de compartilhar este conteúdo com os amigos que possuem crianças em casa, assim você também contribui para que mais famílias tenham viagens divertidas na companhia das crianças!

Criatividade e rotina: como conciliar?

A rotina infantil é repleta de imaginação, criação e invenções. As crianças possuem naturalmente uma facilidade para viver uma rotina criativa, mas isso não significa que nós (adultos) não precisamos estimulá-los. A criatividade pode ser vivida e experimentada o tempo inteiro, nós só precisamos encontrar maneiras de oferecer estímulos e um ambiente propício para que isso aconteça. 

 “A criatividade é a inteligência se divertindo.”

Albert Eistein

Quando falamos em criatividade ou rotina criativa, podemos cometer o erro de pensar que para sermos criativos precisamos fazer algo totalmente novo, incrivelmente inesperado e que ninguém tenha feito antes. E por isso é tão importante levarmos o tema para dentro de casa, afinal, a criatividade pode ser vivida de maneira simples e acessível.

“Sempre recomendo que as pessoas pensem sobre algo que precisa ser resolvido como um labirinto. Há uma entrada para ele, mas muitos caminhos diferentes para a solução. Somente as pessoas que estão dispostas a ‘brincar’ e arriscar bater em um beco sem saída, em vez de tomar o caminho direto e seguro, provavelmente chegarão a uma verdadeira solução criativa”, defende a professora de Psicologia e pesquisadora de Criatividade Beth Hennessey, da Wellesley College, em Massachusetts (EUA).

Levando em consideração a ideia de que a criatividade é uma maneira de resolver problemas, como podemos aplicar este conceito na vida das crianças? 

Para uma criança, tudo pode se tornar um desafio!

A ideia de utilizar criatividade como forma de resolução de problemas pode ser aplicada também como uma maneira de enfrentar um desafio. Para uma criança tudo pode ser desafiador, sendo assim, qualquer atividade pode ser uma oportunidade para estimular a criatividade: 

Uma maneira diferente de arrumar a cama ao acordar.

Uma música que pode ser cantada em outro ritmo.

Uma solução diferente para organizar os brinquedos no quarto.

Uma nova preparação da sua refeição preferida com os pais.

Viu só? Qualquer atividade pode se transformar em um desafio que estimula a criatividade, pense na rotina da criança e encontre maneiras diferentes de desafiar os pequenos. Por isso, é importante que possamos entender o impacto que uma vida criativa pode proporcionar às crianças. Não se trata apenas de imaginação ou diversão, a criatividade está diretamente ligada a maneira que nos relacionamos na vida adulta e enfrentamos os desafios na escola, no trabalho e por aí vai.

De acordo com um estudo realizado pela Fundação Botín, da Espanha, uma educação repleta de criatividade na infância pode aumentar em 17,6% as chances de uma criança ingressar no ensino superior e conseguir um bom emprego.

Não se apegue às fórmulas prontas!

Vale lembrar que nenhuma criança possui manual de instruções, cada uma irá se desenvolver de maneira individual, com a sua personalidade e nós temos que fazer o exercício de respeitar este espaço para deixá-la experimentar e crescer, a seu modo. O melhor que podemos fazer é oferecer a segurança e um ambiente favorável para a experimentação e imaginação. 

Como incentivar um ambiente favorável para a criatividade? 

Estimule a independência e autonomia da criança. 

Pergunte! “O que você está sentindo?”, “O que você está pensando?”, converse sobre os sentimentos.

Demonstre respeito, não faça com que as brincadeiras das crianças se tornem motivo de piada. 

Faça a criança pensar sobre o que ela gosta. “Que tipo de música você mais gosta?”, “Qual comida você mais gostou de comer hoje?

Para ter uma rotina criativa não precisamos de brinquedos caros ou ferramentas incríveis. O combustível mais valioso está em cada um de nós: o poder de imaginar e transformar algo relativamente simples em outra coisa. A criatividade deve fazer parte da vida de cada um, por isso, aproveite cada oportunidade para deixar a rotina das crianças ainda mais cheia de diversão, imaginação e criatividade!

Fontes: 
Portal Aprendiz | UOL
Revista Crescer | Globo